Pages

Chaves já participava do desafio do balde antes disso virar moda.

Fiquei sabendo há apenas alguns dias atrás dessa brincadeira com fins solidários do desafio do balde com gelo (ou ALS Ice Bucket Challenge), em que as pessoas seriam indicadas e, ou fariam uma doação de US$ 100,00 para que sejam feitas pesquisas de combate a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA, ou ALS, ou doença de Lou Gehrig) ou jogariam um balde de água com gelo sobre a cabeça. Na maior parte das vezes, os indicados fazem as duas coisas.

E foram indicados para participar dessa brincadeira gente de peso, como o pessoal do Kiss, Doro Pesch (Doro Pesch molhadinha, uma boa isca para catar para-quedista no Google, não acham?), Camille e Kennerly (gêmeas loiras molhadinhas, mais uma boa isca para pescar para-quedista no Google) Dave Grohl, Mark Zuckerberg, o mestre do terror Stephen King, Kevin Durant, que depois desafiou LeBron James, Tim Cook, Chris Chistie, governador de Nova Jersey (será que algum político brasileiro toparia fazer isso? Dã. Pergunta idiota. Essas divindades jamais desceriam de seu Olimpo e se sujeitariam a fazer isso), Jeff Bezos (o mandachuva da Amazon) e até mesmo... Bill Gates. Só fico imaginando se o Stallman aceitaria participar dessa brincadeira.

Quando surgiu essa brincadeira com fins solidários do desafio com balde com gelo, me lembrei na hora de dois episódios do Chaves em que ele joga um balde com água sobre a cabeça. Esses ai:


Link para o vídeo


Link para o vídeo

Pois é. Chaves e Quico já participavam desse desafio antes mesmo disso aí virar moda. Mas será que com essa brincadeira haverá um surto nos casos de pneumonia? Para saber quem mais participou dessa brincadeira, tem essa busca no Whiplash e esse texto do The Verge.

Agora, falando sério (ui!). A brincadeirinha surtiu muitos resultados. Graças a essa brincadeirinha já foram arrecadados em doações cerca de US$ 70 milhões. Para saber mais sobre a doença e poder fazer uma doação para as pesquisas, basta visitar essa página. No Brasil, existe a ABRELA - Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica, o Instituto Paulo Gontijo e a Associação Pró-Cura da ELA, que também recebem doações.

Links da semana - 41.

Excepcionalmente dessa vez, estou publicando a lista de links da semana no domingo. Ao contrário da lista anterior, que teve mais de 40 textos, dessa vez terá só sete textos. Aí vão eles:
 E é isso. Até a próxima.

Políticos só deveriam usar serviços públicos? Vamos usar o cérebro, bando de boçais?

Sofativistas não se cansam. Bem, não dá para esse pessoal ficar cansado, afinal de contas a cada revolução de sofá é desprendido 1 erg de energia. Então não dá para se cansar mesmo.

A nova (nem tão nova assim) moda entre os sofativistas é uma super-hiper-mega-ultra genial campanha para obrigar que políticos usem apenas serviços públicos. Entre outras coisas, políticos teriam que matricular os filhos em escolas públicas, políticos teriam que usar transporte público, políticos teriam que se tratar em hospitais públicos e na rede do SUS. Enfim, só usar serviços públicos.

Como? Se tem imagem dessa super-hiper-mega-ultra genial campanha originada nas intenétis? Sim, claro que tem. Vocês já viram sofativistas se manifestarem sem usar ao menos uma imagem que seja? Tem sim. Mais de uma, aliás. Aí vão elas:

Não só político. Familiares também.

Essa também:
E a imagem fica ainda mais ridícula com essa efígie do Guy Fawkes. Isso aí, #ogiganteacordou.

E por fim, essa imagem criada e compartilhada por aquele mongoloide fugitivo da APAE conhecido pela alcunha de João Revolta:


Como? Você não conhece o João Revolta e nem sabe porque eu chamei esse traste de mongoloide fugitivo da APAE? Sem problemas. Leia esse texto e veja porque eu dei esses apelidos tão carinhosos a esse mongoloide fugitivo da APAE. E o mongoloide acha que os serviços públicos são oferecidos pelos políticos.

O que há de errado com essa super-hiper-mega-ultra genial campanha? Bom, vamos por partes (novamente, não vou fazer a piada do Jack, o estripador, pois aqui é o Blog do Lucho e não o Kibeloco ou o Bobagento).

O primeiro é que essa campanha claramente viola as liberdades individuais. Quer dizer então que, a pretexto de tentar resolver um problema, a pessoa tem que deixar de usar um serviço de uma determinada natureza? Por favor. O cidadão (e isso também vale para políticos, pois afinal de contas, antes de serem políticos, eles também são cidadãos) tem todo o direito de usar o serviço que for (seja público ou privado) e trabalhar onde for (seja uma empresa pública ou privada). E a primeira imagem não só viola as liberdades individuais do político como também viola as liberdades individuais dos parentes dos políticos (eles também não são cidadãos?). Nem um pouco autoritário isso, não?

O segundo é a folga do eleitor. Eleitor brasileiro é muito folgado. Quer que políticos façam determinada coisa, mas não querem, eles mesmos fazerem essa determinada coisa? Assim é fácil.

O terceiro é que, sabendo do jeito que são os nossos representantes, é bem capaz deles criarem alguma lei obrigado que todos os cidadãos sejam obrigados a usar somente os serviços públicos. Afinal de contas, se eles, os representantes são obrigados a somente usar serviços públicos, por que os representados não seriam obrigados?

O quarto, correndo o risco de cair num ad hominem falacioso mas vamos lá, tá bom que o pessoal que compartilhou e que continua compartilhando essas imagens usa algum serviço público.

O quinto é que isso vai acabar criando uma confusão. Quer dizer que só quando for político que ele vai ter que usar serviços públicos? Enquanto ele não é político ele não vai precisar usar? E quando ele deixar de ser político, ele vai poder usar serviços privados? Agora fiquei confuso.

O sexto motivo é o que está escrito na segunda imagem. Quem garante que se políticos fossem "obrigados por Lei a usar o transporte público, a matricular seus filhos em escolas públicas e ser atendidos no sistema público de saúde, os políticos levariam muito a sério a qualidade desses serviços"? Parece até pesquisa realizada pelo IBEI (Instituto Brasileiro de Estatísticas Inverificáveis), ou então pelo Instituto NuPAL (Núcleo de Pesquisas da América Latina), o órgão oficial de pesquisas do Sensacionalista.

E por último, e principal, é que isso não passa de solucionismo. Para quem não sabe, solucionismo é a arte de tentar resolver algo sem atacar suas reais causas e os reais problemas. Quase sempre não resolve o problema e em alguns casos não só não resolve o problema inicial como são criados outros. Para evitar pirataria, usa-se o DRM (como se não fosse possível burlar essa restrição). Para combater as pichações, proíbe-se a venda de tinta spray para menores de 18 anos (como se os pichadores fossem só crianças e adolescentes). Para combater os congestionamentos, ao invés de melhorar e diversificar os transportes públicos, cria-se o rodízio (como se as pessoas não fossem comprar um outro carro para driblar essa proibição). Para combater a corrupção no congresso, que se institua o voto aberto irrestrito, como pode ser lido nesse texto que, aliás, foi de onde eu peguei o conceito de solucionismo.

E para combater a precariedade dos serviços públicos, que se obrigue os políticos (e parente dos políticos) a usar somente serviços públicos. Bem, vocês entenderam onde eu quero chegar. Eu sei que estou escrevendo para pessoas inteligentes, então vocês certamente entenderam o que eu quero dizer.

Sim, antes que falem, eu sei que os serviços públicos realmente deixam muito a desejar, hospitais públicos não atendem bem, escolas públicas não ensinam bem, transporte público precário, justiça que não julga e não pune quem deveria ser punido, defensoria pública que não conseguem defender os direitos de quem não pode pagar um advogado, polícia que não consegue defender o cidadão. São tantos os problemas que daria para fazer um outro post falando deles. E a coisa piora pois pagamos impostos muito altos e não vemos nada em troca.
Porém não vai ser dessa maneira que esses problemas serão resolvidos. Quer saber como será resolvido? Com protestos, manifestações, passeatas e cobrando das autoridades por melhores serviços e porque pagamos tantos impostos e não recebemos quase nada em troca. Enfim, da maneira tradicional e que dá resultados.

Ah, mas isso dá trabalho. E protesto e manifestação é coisa de baderneiro, vagabundo, desocupado e terrorista. Melhor mesmo é ficar no sofativismo e compartilhar imagens com uma proposta como essa, absolutamente inútil, populista, demagógica, politicamente correta e que tem leves traços autoritários.

Por sorte, propostas idiotas como essas e outras quase nunca saem das telas dos computadores.

E no mais, sim, essas imagens já estão no Tumblr. Por enquanto ainda são apenas rascunhos, mas, quem sabe, um dia serão publicadas.

Links da semana - 40. A lista XL.

E vamos a mais uma lista de links dessa semana. E essa é uma lista especial, pois é a lista de links de número 40, que em algarismos romanos se escreve XL. E você achando que algarismos romanos só servem para identificar séculos, nomes de reis, papas e edições do SuperBowl.

Para ser coerente então, segue abaixo uma lista de textos bem XL. Se nas outras listas, em geral eu posto de 5 a 10 textos, nessa tem mais de 40 textos. Aí vão eles:
  • Coluna social, do Bate Estaca. Pelo visto foi só para isso que serviu essa palhaçada dessas micaretas foras de época que aconteceram em 2013.
  • A Geração Burra: como a Internet está deixando os jovens mais idiotas e ameaçando nosso Futuro, do Sakuxeio. E viva a geração que vai mudar o mundo. Só se for para pior.
  • Pessoas bilionárias que perderam tudo, do Zuando cum todos. Dinheiro não é tudo, não é mesmo? Fala isso para eles. Só senti a falta do Bernard Madoff e claro, do Eike Batista.
  • MC Daleste, duas novelas e dois esquemas de pirâmide estão entre as palavras mais buscadas por brasileiros no Google em 2013, do YouPix. Dois esquemas de pirâmide, dois malditos esquemas de pirâmide (TelexFree e BBom) entre os termos mais buscados pelo Google no Brasil em 2013. Vai esperar o que de uma terra de gente vagabunda, vadia e ordinária que não quer saber nada com o trabalho? E esse pessoal ainda acha que tem o direito de reclamar de político.
  • Devo Comparar-te a um Gilberto Braga? Ou: Menos um mimimi anti-Globo no mundo, do Contraditorium. De mimizentos anti-Globo não dá para esperar nada mesmo. Será que o pessoal que criou e espalhou esse mimimi já ouviu falar do caso Sokal?
  • 10 sites em português para se aprender de graça na Internet, do Meio Bit. Assim como eu citei um texto com 10 sites em português, dessa vez fiquem com 10 sites em português. E assim como eu escrevi naquela oportunidade, que tal usar a Internet para algo útil, ao invés de ficar no Facebook, ou ficar fazendo revolução de sofá, ou ficar falando de política?
  • Facebook e sua irrelevância, do RONAUD.com. Bom saber que não sou o único a achar que ficar discutindo política no Facebook não leva a nada. Enquanto isso, Markinho Zuckerberg se diverte, fatura cada vez mais e vai comprando o Instagram, o Whatsapp, a OculusVR e tudo mais que aparecer na frente dele e fica se digladiando com o Google para ver quem vai, enfim, ser o dono da Internet.
  • A internet e seus paraísos artificiais, do Feed by frames. Mais uma vez faz-se valer a sabedoria popular de que ser famoso na Internet é o mesmo que ser rico no banco imobiliário. E, como de costume, viva o ativismo de sofá.
  • 27 livros para morrer antes de ler, do Revista Bula. Eu já tinha colocado numa lista dessas os livros brasileiros para morrer antes de ler. Se depender de mim, pode ter certeza de que farei isso com esses livros.
  • Características satânicas de um rockeiro, do Igreja Apocalíptica do Oitavo Dia. Agora vocês sabem do perigo que é ser um rosqueiro e ficar perto de um rosqueiro. Aleluia irmãos!! E não esqueça do dízimo.
  • Dossiê SATANthere: A satânica Santander, do Igreja do Primeiro Impacto. Sempre desconfiei de que bancos eram coisas de Lúcifer. Aleluia irmãos!! E de novo não esqueçam do dízimo.
  • Nem todo mundo é mídia, do Conector. Um belo texto que entra com as travas no peito de quem ainda acredita naquelas histórias da carochinha de "tomo mundo é mídia", ou "jornalismo cidadão", ou a "web 2.0".
  • 6 ferramentas online gratuitas que te tornarão mais inteligente, do Hoje é um bom dia. Mais sites para se aprender algo na Internet e fazer um bom uso da mesma.
  • Cachorrinho não sabe se dorme ou se fica sendo fofo, do Preguiça Alheia. Momento "oooouuuuuummmmmmmmm" dessa lista.
  • 21 fotos que provam que crianças precisam de animais de estimação, do Awebic. Mais um momento "ooooouuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmm" dessa lista.
  • Médico italiano Tullio Simoncini e a cura do câncer com bicarbonato, do E-Farsas. Para o pessoal que compartilhou essa estultície de que câncer pode ser curado com bicarbonato, saibam que vocês fizeram publicidade de um criminoso, já que o "doutor" Tullio Simoncini teve seu registro médico cassado e continua atuando como médico. Isso em qualquer lugar decente (e no Brasil também) é considerado crime. Mas tanto o texto como essa descrição não vão adiantar nada. Os beócios de Internet ainda vão continuar achando que tudo é um complô da malvada e maligna indústria farmacêutica. Até ter uma dor de cabeça e tomar uma aspirina.
  • Cientista é ameaçado de morte por causa de pesquisa que ele não faz, do Ceticismo. E aí defensores de animais fofinhos, o que você tem a dizer disso? Ah, muito provavelmente vão dizer que quem fez essa ameaça não é defensor de animais fofinhos de verdade.
  • Cinco escritores que você precisa conhecer antes de morrer, do Livro&Café. Ótimas dicas de leitura.
  • Minha experiência com a Deep Web, do Histeria. “Não aconselho ninguém a entrar lá, é muito perigoso!”. “Se você entrar, no dia seguinte o FBI vai bater na sua porta e te levar preso.”. “Lá só tem foto e vídeo de gente morta.”. “Lá é um lugar para pessoas perturbadas. Se você não quiser ficar traumatizado pelo resto da vida, não entre de jeito nenhum!”. “Você só vai encontrar assassino em série, pedófilos, psicopatas etc.”. “Se você entrar lá, seu computador vai explodir.”. “Se você entrar lá, um monte de crackers vai invadir seu computador e destruir todas as suas informações”. Mas isso aí é a Deep Web ou é o Facebook? Brincadeiras a parte, apesar da boa experiência relatada no texto, acho que eu jamais entraria na DW. Ainda mais depois que o criador do TOR disse que não é seguro usar o TOR e navegar na DW usando o Windows. Se ele próprio disse isso, eu é que não vou me arriscar.
  • PEC das domésticas: não curtiu? Faça você mesmo, do Com fel e limão. Uma leitura muito recomendada para o pessoal que tanto se preocupa com o transporte da empregada, mas que não gostou quando a mesma passou a ter direito a décimo terceiro, férias, INSS e carteira de trabalho assinada.
  • Candidato a emprego é obrigado a dançar, do G1Música. Profissionais de RH de merda que tripudiam de desempregados não são um privilégio exclusivo do Brasil. Esse cara (e um senhor que participou da mesma entrevista e também teve que dançar) tinham que meter um processo nessa empresa por constrangimento.
  • Pela revogação da lei do mínimo esforço, do Fkdk. Enquanto isso, tem gente que acha que está resolvendo os problemas do mundo sentado na porra do sofá. Viva o ativismo de sofá.
  • A questão da (falta de) mobilidade urbana, do ImprenÇa. Antes fosse só São Paulo que estivesse assim. Acredito eu que praticamente tudo quanto é média e grande cidade tem problema com o seu trânsito. Assim como o Caipira Zé do Mer, para mim a solução é o transporte público. E ponto.
  • O vídeo sobre "política" do Felipe Neto, do Olhômetro. Nunca as aspas foram tão bem usadas como no título desse texto. O texto fala daquela vergonha alheia sofativista (mais uma, aliás) que foi aquele vídeo do Felipe Neto. O idiota acha que entende de política mas mostrou que não passa de um analfabeto político.
  • Como era a região do Minhocão antes do Minhocão, do Trabalho Sujo. Como era bonita a região antes de ter aquele lixo que é o minhocão. E o pior é que não dá para se desfazer desse lixo. Se destruírem o Minhocão, São Paulo para de vez.
  • Você não vai mudar o mundo se não sair do Facebook, do Desde 91. Não adianta nada você ficar compartilhando fotos e textos melosos e chorosos no Facebook se não fizer nada na vida real. E mais uma vez, viva o ativismo de sofá.
  • 12 coisas que você não sabia sobre o Robocop, do Herodroide. Aproveitando que há algumas semanas foi lançada um novo filme do policial-robô, fique com essa lista de curiosidades dele.
  • NASA divulga novas fotos impressionantes de uma erupção solar, do Manual do mundo. Essas fotos são o momento que o Sol mostra que é o fodão mesmo. Ele é isso aí (e mais um pouco) e isso basta.
  • Dr. Fredric Wertham - O aniversário de um boçal, do ContraVersão. Para quem não sabe, esse beócio é o inimigo número 1 dos quadrinhos e teria dito, entre outras coisas, que Batman e Robin na verdade seria um casal homossexual. Na verdade o doutor Fredric Wertham reencarnou. É conhecido atualmente como o jornaleiro... quer dizer, jornalista Dioclécio Luz.
  • A hipocrisia do estacionamento, do Caos Carioca. Vejamos então. Reclamam do alto preço de um estacionamento PRIVADO localizado no LEBLON que dá acesso a restaurantes LUXUOSÍSSIMOS? #classemediasofre não é mesmo? Mas também, vai esperar o que de jornaleiro e colunista que acha que é formador de opinião?
  • O brasileiro classe média não curte autocrítica, do Cão Uivador. E mais uma vez, #classemediasofre.
  • Grafologia - Sua letra diz quem é você?, do Random Dumplings of Wisdom. Mais uma vez profissionais de RH mostrando o que são (um bando de bichas) e mostrando para que servem (fazer bichisses e inventar moda). Grafologia usado na seleção de emprego? Mas afinal de contas, mão de obra qualificada é o que mais há no Brasil. E viva a pseudociência.
  • E essa "Maldita Inclusão Digital"?!, do Ideando. Estou chocado com esses números. Obsessão? Isso já está virando vício. Ou até mesmo patologia.
  • A revolução não será tuitada, do Observatório de Imprensa. Eu não seria eu se não publicasse esse texto do Malcolm Gladwell. Realmente, a revolução não será tuitada. Nem tuitada, nem facebookeada, nem youtubizada, nem vinada, nem instagramizada, nem tumblrizada, nem myspaceada, nem vimeada.
  • Por que a intolerância tomou conta da Internet, do Congresso em foco. É que é facílimo dar uma de muito macho na Internet. E adianta muito ser um intolerante revoltz na Internet, porém na vida real ser um cagão bundão covarde que apanhava na cara quando derrubava o Nescau. Aliás, acho que é justamente por causa disso que tem tanta intolerância na Internet.
  • 7 capas de jornais brasileiros sobre Brasil 1 x 7 Alemanha, do Impedimento. Imagina só se os jornais não iriam destacar em suas capas esse acontecimento histórico? Eu vivi para ver isso.
  • História falsa fala do experimento socialista de Adrian Rogers, do Boatos.org. Esse é um boato que muitos blogs políticos repassaram. Cansei de ver essa história em blogs e portais políticos (de direita). E viva os blogs políticos e politizadinhos e politicuzinhos de Internet.
  • Separados no fio do bigode, do Futepoca. Cara de um, focinho do outro.
  • Agradeça ao custo Brasil, do Oene. Uma reflexão para quem comemora o "estado de pleno emprego" que o país vive. Principalmente para ver quais são esses empregos e como são esses empregos que (ainda) mantém o "estado de pleno emprego" do país.
  • 10 curtas feitos por fãs que são melhores do que muitos filmes de Hollywood, do Rock'n'Tech. Mas em se tratando desses filmes, fazer um trailer melhor que o filme não era nada complicado.
  • As quatro irmãs: a história das gigantes Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, do Papo de Homem. Saiba a história que está por trás dessas quatro grandes "doadoras" de campanhas eleitorais.
  • O campeão com saldo negativo, do Futebol: Uma história para contar. O futebol brasileiro é mesmo uma coisa surreal. 
Ufa!! E são esses os textos.

Acho que já posso morrer.

Do jeito que está no título desse texto parece que eu sou velho. Não, não sou velho. Para dizer bem a verdade, ainda sequer cheguei a completar meio século de vida. E ainda estou longe de atingir a essa meta. Se é que eu vou atingir.

Porém mesmo sem ter vivido tanto tempo assim, muita coisa já aconteceu durante o meu tempo de vida. Enquanto o mundo contou (e ainda conta) com a minha gloriosa e espetacular existência, aconteceram as seguintes coisas:
  • O Apartheid acabou na África do Sul e pela primeira vez um negro assumiu o cargo de presidente daquele país.
  • A Iugoslávia se desmembrou em diversos outros países. Surgiram Croácia, Eslovênia, Bósnia-Herzegovina, Macedônia, Sérvia e Montenegro.
  • A Tchecoslováquia se desmembrou e virou República Tcheca e Eslováquia.
  • A Rede Globo derrubou um presidente. Ou ainda tem idiota que acha que foram os cara-pintadas que derrubaram o Collor? Tanto foi o "povo" que derrubou o Collorido, que ele saiu em 1992 e voltou em 2006. E será reeleito em 2014, podem ter certeza.
  • Um metalúrgico assumiu o cargo de presidente do Brasil.
  • Logo depois uma mulher assumiu o cargo de presidente do Brasil.
  • Um negro assumiu o cargo de presidente dos Estados Unidos.
  • Um papa renunciou (o que não acontecia há 600 anos). E no lugar dele, o primeiro latino foi eleito papa.
  • Um negro assumiu o cargo de presidente do Supremo Tribunal Federal, a mais alta instância da Justiça do Brasil. A guardiã da Carta Magna.
  • O meu Santos, o Corinthians e o Atlético Mineiro foram campeões da Libertadores.
  • Cruzeiro e Fluminense foram campeões brasileiros.
  • Mas também Corinthians, Palmeiras, Vasco, Atlético Mineiro, Grêmio, Fluminense e Botafogo foram rebaixados. Guarani e Ponte Preta não contam.
  • O Ituano foi campeão paulista (e ainda por cima, duas vezes).
  • Um meteoro cruzou e explodiu nos céus da Mãe Rússia.
  • Um prefeito de Campinas foi cassado. E depois foram cassados os prefeitos de Limeira, Jaguariúna e, mais recentemente, Americana.
  • Dois senadores foram cassados. Os dois primeiros senadores cassados na história.
  • Políticos corruptos foram parar na cadeia.
  • Renato Teixeira renunciou e deixou o cargo de presidente da CBF.
  • E hoje, a seleção brasileira sofreu a maior goleada da sua história e perdeu de 7 a 1 para a Alemanha. Na verdade, pareceu mais um amistoso do Bayern contra a seleção do Taiti.
Bom, foi isso que aconteceu. Imagina eu poder dizer para quem quer que seja que tudo isso aconteceu enquanto estive vivo.

Na verdade, só está faltando duas coisas. Ser eleito um papa negro e acontecer uma colossal explosão solar na direção da Terra. Se for equivalente a um Evento Carrington, tanto melhor. Se acontecerem mais essas duas coisas, aí creio que já poderei morrer.

Mas eis uma coisa que eu não verei durante o meu tempo de vida. O sofativismo funcionar. Isso nunca vai acontecer. Nem daqui 1000 gerações.

E como desgraça pouca é bobagem, além desse sacolaço, faleceu hoje Plínio Sampaio. R.I.P..

Que pena. A Copa do Mundo está acabando. Bem que podia ter Copa todo ano.

:-(

Agora que chegou a fase final da Copa do Mundo é que eu percebi que a Copa do Mundo está acabando. Acho Copa do Mundo um espetáculo fantástico e, apesar de tudo o que aconteceu nos bastidores e em dias antes do início do evento, a Copa desse ano não deixou nada a desejar. E se for comparar com as duas edições anteriores, a desse ano não deixou nada a desejar, mesmo. Cada jogaço. Claro que também teve aqueles jogos bem modorrentos, mas no frigir dos ovos, o saldo foi bastante positivo.

Pois é. Esta acabando a Copa do Mundo. Bem que podia ter Copa todo ano. Sei que é completamente inviável que isso aconteça, mas é um sonho que eu tenho. E isso me deixa triste.

Quer dizer, na verdade eu fico ainda mais triste (e deprimido) quando eu penso que assim que acabar a Copa do Mundo vai voltar o LIXO do campeonato brasileirãozinho. Sim, queridos. Infelizmente, o peladão vai voltar. Fala a verdade, não é para ficar triste e deprimido com uma coisa dessas?

E isso sem se esquecer que com o fim da Copa do Mundo vai começar a propaganda eleitoral no rádio e na televisão. Não é para ficar ainda mais deprimido e triste com algo assim? Sim, começará no rádio e na TV, pois na Internet já está rolando essa bosta há muito tempo. No meu primeiro texto do ano eu disse o que eu faria com quem aparecesse com propaganda eleitoral nos meus espaços privados na Internet. Já bloqueei e vou continuar bloqueando quem me vier com esses lixos.

E não venham querer dizer que essa minha atitude é autoritária, ou que eu sou um autoritário nefasto reacionário from hell (ou Lucho, para simplificar). Como eu disse naquele meu texto, eu não estou impedindo que a pessoa se expressa. Quer fazer propaganda eleitoral para qualquer vagabundo que seja por uma Tubaína e pão com mortadela? Pode fazer, oras. Mas longe de mim. E além disso a minha lista de amigos não é uma democracia. Ser meu amigo e poder interagir comigo é um privilégio. E essa regra vale para qualquer um.

No mais, falem a verdade. Esse texto não ficou um texto bem à lá Blablagol, Impedimento ou Futepoca?

Isto é a geração que vai mudar o mundo, IstoÉ?

Foi essa a pergunta que eu me fiz após ler essa reportagem idiota da IstoÉ dizendo como a geração ípsilon semi-aleijão geração Y, geração Z, geração digital, geração millenials ou geração milênio (são muitos os adjetivos para descrever a geração de atualmente. Nunca sei qual que é que tem que ser usado) vai mudar o mundo, mostrando que a geração que vive atualmente não é só boa em marketing como tem um ego enorme da qual dá para ser visto daqui de casa.



Vejamos pois então quais são os espécimes que vão mudar o mundo, segundo a reportagem da IstoÉ.

Primeiramente temos uma patricinha exibicionista que ficava fazendo selfie e postando as fotos no istragão (um dia eu ainda vou entender a fixação que o pessoal tem por esse site de fotos de selfies e comidas) e que logo após isso decidiu criar um blog sobre moda (afinal de contas moda é um assunto de vital importância para quem quer mudar o mundo). Apesar de tudo, eu comeria facinho.

Depois disso temos uma outra patricinha que não só se interessa por moda como fazia um curso superior de moda (pois não basta ser um assunto de vital importância, tem que ter cursos universitários desse assunto tão importante), porém decidiu jogar tudo para cima e virar uma jovem empreendedora, ao abrir uma loja de roupa, com a ajuda dos pais (assim é fácil ser um jovem empreendedor).

Logo em seguida temos um jovem que a única coisa que fez na vida foi trocar de emprego (outra coisa que muda o mundo). Em quatro anos foram quatro empregos. E trocou de emprego pois não via oportunidade de crescimento no emprego que se encontrava ou então porque não agregava ao currículo. Só faltou vir com aquela bobajada típica de livro de autoajuda de trabalhar no que se ama. É muito fácil ficar quicando de emprego em emprego, procurando fazer aquilo que se ama ou querendo fazer uma carreira brilhante quando se tem família que te sustenta ou então quando se tinha um bom emprego, se ganhava bastante dinheiro e com isso conseguiu acumular uma boa reserva. Quero ver fazer isso tendo que contar dinheiro no fim do mês.

Depois temos essa aborrescente cujo ego e a prepotência atingiu níveis estratosféricos e atualmente acha mesmo que está fazendo uma revolução na educação (lembram daquele  meu texto sobre o voto nulo, quando disse que atualmente qualquer merda é revolução? Então, se aplica perfeitamente aqui). Eu já escrevi um texto sobre essa menina elogiando o trabalho que ela desempenhava em sua página do Facebook, quando ainda estava no comecinho, porém desde aquele texto ela desceu a ladeira na banguela e se transformou numa aborrescente mimada, chata, reclamona que só sabe dizer "hoje no almoço teve pão com banana", "o trinco na porta do banheiro estava quebrado", "o professor brigou comigo porque eu estava filmando a aula ao invés de prestar atenção". Atacar os principais e maiores problemas da educação (como a aprovação automática), nem pensar. Adianta muito a educação ser uma merda, mas a escola ser bonitinha, não é mesmo?

Isso quando não protagonizou cenas lamentáveis, como perseguir um pintor, humilhar a diretora e funcionários da escola e humilhar e causar a demissão de professores (e aqui um exemplo da grande conta que ela tem pelos professores. Essa foi ótima. Uma menina mimada criticando adultos mimados). Mas, professor que se foda, não é mesmo? Enfim, virou uma xerifona da educação. Se ela está tão preocupada assim com a educação, por que ela não reclama diretamente aos maiores responsáveis pela situação, que são o prefeito e, principalmente, a secretária municipal de educação, se bem que eu acho que ela nem deve saber o nome da secretária. Além de que, é mais fácil bater no mais fraco. De novo, o professor que se foda.

O mais curioso (eu ia escrever engraçado, mas não tem nada de engraçado nessa história) é que uma professora foi fazer a mesma coisa que a aborrescente e, como reconhecimento pelo serviço de utilidade pública, ganhou como prêmio um bilhete azul. Mais uma vez, o professor que se foda.

Sem contar a ideia jeneau da menina de usar kinect nas aulas de educação física. Jeneau. Aliás, não somente jeneau. Eu diria que é jenealíçema essa ideia. O Brasil quase não ganha medalhas olímpicas e tem a sexta maior população obesa do mundo. Pode ter certeza que uma ideia como essa só vai melhorar as coisas.

Dizia que não ia se envolver com política, porém acabou cedendo e se envolvendo com políticos, gestores públicos e empresários brasileiros (enfim, toda essa laia de sanguessugas) que a chamam para fazer e dar palestras. Em outras palavras, faturam em cima da menina, que não deve nem perceber. Aliás, deve até adorar, afinal qual motivo melhor para poder matar um dia de aula? E deve ser aquelas palestras motivacionais de extrema qualidade, equiparáveis a um TED. Além de que, provavelmente são palestras que devem custar uma nota preta, e certamente há idiotas que pagam essa nota preta para assistir a essas merdas. E eu acho justo (a la @Izzynobre) que idiotas paguem esse preço. Otário tem mais é que perder dinheiro para ver se deixa de ser otário. Sim, eu acredito que isso um dia possa acontecer. Por favor, não riam de mim.

E, para contribuir com a quantidade de ruído que existe atualmente, decidiu lançar um livro.

Entendam, a educação não será melhorada com compartilhamentos e curtidas de textos e imagens no Facebook, no Twitter, em blogs ou seja lá onde for. Ou será que ainda há gente que acha e acredita que a revolução será tuitada?

Apresentados à geração que vai mudar o mundo, agora vejamos o que pensa a geração que vai mudar o mundo:
"A maioria dos jovens de hoje quer resolver questões sociais que, eles acreditam, foram deixadas pelas gerações anteriores."
Puxa vida. Como eles são tão bonzinhos e generosos. Além de redentores e remissores da pátria e do mundo. Vão resolver os problemas que as outras gerações deixaram. Eu disse que o ego dessa geração é algo gigantesco. Claro que não vão resolver porra nenhuma. Não só não vão resolver como ainda vão piorá-los. A contar pelos espécimes citados logo acima, tenho plena certeza disso.


"O sonho de 56% dos entrevistados era não ter patrão e metade revelou a intenção de montar uma empresa no prazo máximo de seis anos."
Em outras palavras, mal saiu dos cueiros, não quer ser mandado, não quer receber ordens, ainda cheira a fralda, mas quer mandar nos outros. Eita complexo de reizinho mimado.
"Acredita que as notícias mais críveis estão na Internet e nas redes sociais"
Verdade. Que o digam os sites de fake news. E sempre tem um ípsilon semi-aleijão que acaba acreditando e repassando para os seus "amigos" nas redes sociais. Viva a sociedade da informação. E viva a Internet e as redeçossiaus, esses mananciais de informações e notícias críveis.
"É aberta a crenças diferentes da de sua família"

Uau! Além de tudo ainda possuem a mente e a cabeça aberta. Pena que quando chega ao mercado não seja assim e já fica emburradinha quando recebe um pito.
"Tem foco mais disperso e se preocupam com causas sociais"
"temas como educação e desigualdade social também estão em alta na cartilha de interesses da Geração Milênio brasileira."

Essa é boa. Preocupam-se com causas sociais, com educação e com a desigualdade social. Preocupam-se o caralho!! Esse pessoal quer é dar uma de bonzinho e de aparentar ser consciente e preocupado com os problemas do mundo. E só aparentar, porque resolver esses problemas não vão resolver.

Quanto a ter um foco mais disperso, aí eu concordo. De fato são polivalentes. E por polivalentes entenda em ter a capacidade e a habilidade de fracassar e produzir resultados medíocres em um monte de áreas diferentes.


"acreditam que podem fazer a diferença"
Aham. Claro que podem fazer a diferença. Estamos vendo.

Fazer a diferença? Com esse narcisismo exacerbado, sendo jovem empreendedora com a ajuda dos pais, falando de moda (um assunto de vital importância para quem quer mudar o mundo), querendo dar uma de bonzinho, preocupado e consciente, pulando de emprego em emprego e desprezando, perseguindo, humilhando e demitindo pintores, diretoras, professores (eu já disse que professor tem mais é que se foder?) e funcionários de escola eles vão fazer a diferença? Só se for para pior.

"Chegar ao topo da carreira é importante para 43% dessa geração"

"Antigamente, o sujeito primeiro acumulava experiência no mercado. Hoje, ele quer experiência e reconhecimento simultâneos"

"ouve queixas diante da promoção rápida que não veio ou do salário que não cresceu exponencialmente."

Novamente a síndrome de reizinho mimado. Não aprendeu nada, não conhece nada da vida, não sabe de nada, mal saiu dos cueiros, ainda cheira a fralda, mas quer que o salário cresça exponencialmente (!!!!!), quer experiência, reconhecimento, promoção e chegar o mais rápido possível no topo da carreira para poder mandar nos outros. Queria saber porque a geração ípsilon semi-aleijão acha tão ruim ter chefe e receber ordens? Eu não entendo isso.
"Jovens como eu não querem trabalhar para os outros."
Desculpa aí, patricinha. Tudo bem?
"Uma pesquisa da Amcham, a Câmara Americana de Comércio, ouviu 87 gestores de recursos humanos e mostrou que 34% deles já haviam criado algum plano específico para reter funcionários da Geração Milênio."
Pois não basta ser mimado e ter um ego do tamanho do mundo. Ainda por cima tem que ter os aduladores.

E depois de terem sido apresentados aos espécimes que vão mudar o mundo, agora vocês foram apresentados ao que pensa os espécimes que vão mudar o mundo.

Obviamente que numa reportagem que massageia o ego da geração Y, geração Z, geração digital ou geração milênio, não poderia deixar de falar do feicibuqui facebosta facebobo facebunda Facebook e de seu criador marqui zumquerberguer. Se teve uma coisa que o Facebook transformou no mundo foi o fato de ter se transformado na maior ferramenta de invasão e violação de privacidade já construída pelo homem.

E se teve uma coisa que marquinho zurquibergui transformou no mundo foi em ter descoberto uma nova forma de ganhar dinheiro, que é vendendo informações pessoais a empresas e governos. Fatura bilhões com essa venda, vai comprando o Instagram, o WhatsApp, a OculusVR e o que mais aparecer na frente e não produz nada. Isso mesmo caro facebooketeiro que se acha por ter uma conta naquela pocilga, enquanto que para algumas pessoas o feici já deu o que tinha que dar, marquinho zurquibergui fatura bilhões com suas informações pessoais e hábitos de navegação, hábitos de consumo, preferências sociais, religiosas, sexuais e políticas e em compensação você não ganha nada dele. Pelo contrário, só perde. Perde dinheiro, perde tempo, perde inteligência, perde o senso do ridículo.

Além disso, não poderia deixar de falar também daquela palhaçada que foram aqueles protestos e passeatas de junho. O que eu vi foram enormes micaretas fascistas fora de época em que o pessoal foi para a rua, aproveitando o embalo (que nem gado, faltando apenas dizer "muuuuuuuuuuuu..."), para aproveitar o momento, fazendo um monte de selfie e postar essas merdas no feicibuqui e no istragão. E ainda por cima querendo fazer isso usando a Internet dos outros.

Não era só por 20 centavos, mas foi só o que conseguiram. Aliás, minto. Também deixaram um rastro de baderna de destruição ao patrimônio público e privado (mas era sem vandalismo), agrediram quem portava uma bandeira, camiseta de partido ou movimento social (mas era sem violência), agrediram também quem carregava um microfone ou uma câmera (mas, de novo, era sem violência. E depois ia chorar as pitangas no feici dizendo "isso a mídia não mostra") e ferraram com as vendas de pequenos comerciantes que não tinham nada a ver com a história.

Derrubaram a PEC37. OK, mas será que esse pessoal sabia o que era essa tal de PEC37? E sabia por que ela era tão ruim assim e merecia ser derrubada? Ou será que esse pessoal foi às ruas para derrubar algo da qual eles não tinham a menor ideia? Pois esse negócio de ir às ruas para protestar contra algo da qual não se ter a menor ideia e a menor noção me lembra outra coisa.

Só senti a falta nessa reportagem dos asnonymous Anonymous, esses moleques babacas mimados metidos a nerds e justiceiros que atacam quem ELES acham que estão errado, sendo que o conceito de "certo" e "errado" só eles que têm e não falam para ninguém. Sim, o julgamento é puramente subjetivo. Daqui a pouco aparece algum asnonymous Anonymous neurastênico e neurótico, pois esqueceu de tomar o Gardenal, querendo me corrigir e vai dizer que asnonymous Anonymous não é um grupo de pessoas mas uma ideia. Só se for ideia de jerico.

Enfim, sejam apresentados à geração que vai mudar o mundo, segundo a reportagem da IstoÉ. Eu me pergunto se o jornalista (aliás, os jornalistas. Rodrigo Cardoso, Mariana Brugger e Andres Vera) que deram o título a essa reportagem pelo menos leram a reportagem. Geração que vai mudar o mundo? Não passa de uma versão piorada da Geração X, muito mais narcisista, ególatra e que não gosta de receber ordem, além de ser uma geração estúpida (aliás, a mais estúpida de todas), segundo Mark Bauerlein, uma geração superficial ao extremo, segundo Nicholas Carr, uma geração sedentária e, para chocar, menos consciente, segundo esse texto, e o principal, covarde e acomodada, segundo Malcolm Gladwell e Evgeny Morozov.

E ainda por cima existe algumas Polianas idiotas ansiosas e esperançosas por um futuro onde todos viveriam num paraíso de onde jorraria leite e mel e que seria proporcionado por essa geração. Pois eu, dando uma de Regina Duarte, tenho muito medo. Especialmente se essa geração estúpida, idiota, acomodada, preguiçosa, indolente, covarde, narcisista, ególatra, mimada, mandona, hedonista, insubordinada, emburrecida, que não gosta de receber ordem, com o rei na barriga, pseudoconsciente e pseudopreocupada com pseudocausas pseudoambientais e pseudossociais (caramba. É muito pseudo numa frase só) vier a tomar o poder. E eu tenho mais medo se, como essa mesma Poliana disse, esses jovens nascidos hiperconectados passem a ditar as regras. Aí que é para ter medo mesmo.

Como ela mesmo disse, existiu uma época em que criança era apenas uma pessoa pequena. Bem que essa época poderia voltar e as crianças poderiam voltar a ser pessoas pequenas que só faziam uma única coisa na vida: Brincar. Criança tem que brincar e não se preocupar com os problemas do mundo ou então estimular o empreendedorismo nas crianças. Mais uma vez, o que a geração Y tem contra ter patrão?

No fim das contas, é aquela velha história: Todo mundo quer mudar o mundo, mas ninguém quer arrumar o quarto ou lavar uma pilha de louça suja.

E para quem gosta de brincar de mudar o mundo e acha que vai mudar o mundo, aqui o que vos espera:

Só assim para o #forasarney funcionar.

Pois é. E não é que, depois de tanto tempo, o #forasarney enfim funcionou. Só que, obviamente, funcionou porque Sir Ney, o oligarca maranhense, decidiu que não vai concorrer a reeleição para o senado do Amapá, conforme disse a imprensa-golpista-burguesa-conservadora-fascista-reacionária-autoritária-malvada-feia-chata-boba-suja-fedida-elitista-racista-branca-de-olhos-azuis, ou G1, para simplificar (e ainda por cima tem videozinho).

E não é só isso. Sua filha querida, a sensacional Roseana Sarney também decidiu que não mais concorrerá a cargo nenhum, segundo o que disse a mesma imprensa-golpista-burguesa-conservadora-fascista-reacionária-autoritária-malvada-feia-chata-boba-suja-fedida-elitista-racista-branca-de-olhos-azuis, ou então G1. Só assim para o #foraroseana também funcionar.

E por que eu decidi escrever esse texto? Primeiramente, para tirar um sarro da cara dos sofativistas, pois tirar sarro da cara desse pessoal nunca é demais e sempre é muito divertido. Pessoalzinho idiota que leva o lema "Internet is fucking serious business". E o pior é que eles levam a sério mesmo e ficam doidinhos e magoadinhos. Pior para eles, pois para mim aumenta ainda mais a diversão.

E o segundo motivo é que no comecinho do ano eu prometi escrever um texto caso o oligarca maranhense não fosse reeleito senador pelo Amapá. Como? Você não se lembra? Tudo bem, eu refresco vossa memória.

Ele não vai ser reeleito, então eu teria que escrever o texto. Mas uma das condições era a de que ele teria de concorrer. Portanto, não valeu. E, por consequência, não terei que escrever aquele texto (Ufa!!).

Agora é só ver se as outras manifestações revolucionárias de sofá (#forafeliciano, #forabolsonaro, #forajeanwillis, #foracollor) vão ter algum resultado (R U fuckin' kiddin' me?)

Para o pessoal do #nãovaitercopa. Perguntar não ofende.

Publiquei há algumas horas atrás um texto falando sobre a Copa do Mundo. Na verdade foi um republicação de um texto que eu tinha escrito há 4 anos atrás, vendo se esse negócio de caçar paraquedista (agora eu descobri como se escreve. Essa reforma ortográfica me confunde). Continuo, pois então, vendo se esse negócio de caçar paraquedistas ainda funciona.

Para o pessoal que vai participar do #NãoVaiTerCopa (primeiramente que "protestos" que são nomeados por uma hashtag não são para serem levados a sério) será que eles vão fazer as seguintes coisas?
  • Não beberão Coca-Cola.
  • Cancelarão conta da VIVO (a melhor operadora que existe).
  • Cancelarão conta no Itaú (o melhor banco que existe).
  • Não comerão mais no Mc Donalds.
  • Não consumirão mais produtos da Sadia. 
  • Não beberão mais Guaraná Antarctica.
  • Não comprarão mais no Extra.
  • Não usarão mais os produtos Samsung (e isso inclui o Nexus toda a linha Galaxy).
  • Não comprarão os produtos Nestlé.
  • Não viajarão de GOL.
  • Não comprarão carros da Volkswagen.
Será que esses protestantes desse importantíssimo movimento revoltado e revolucionário com nome de Hashtag farão tudo isso? E o principal: Será que esse pessoal tão revolucionário e revoltado continuará trabalhando o expediente todo nos jogos do Brasil (dias 12, 17 e 23) , mesmo o chefe liberando ao meio-dia.

Ei gente. São só algumas perguntas. E perguntar não ofende.

Vi esses questionamentos nesse texto do Governismo, na qual, dessa vez, concordo com a governista. Calma Raphael, que é só o paradigma e a teoria do relógio parado.

E não, fazer isso aí abaixo não serve de nada.

Vai começar a copa do mundo: O ópio.

Pois é gente. O dia 12 de junho de 2014 vem aí. E já que o mundo não acabou, junto com esse dia vem mais uma edição (mais precisamente a XX edição. Só faltou mais um X) do maior evento futebolístico do mundo: O campeonato mundial de futebol masculino. Ou copa do mundo, para ser mais simples.

E há uma categoria de pessoas que esfrega as mãos e aguarda anciosamente a mais essa edição da competição: Os pseudointelectuais. E em especial essa época de ano os pseudointelectuais entram no mais absoluto êxtase. É ópio puro para os pseudointelectuais.

Sim, afinal de contas, o pseudointelectual típico ODEIA futebol e campeonatos de futebol. Pode até odiar outros esportes, mas com o futebol, essa coisa tão popularesca, ele tem um ódio todo especial. Ele odeia, de paixão e com todo carinho, o ludopédio.

E é nessa época que o pseudointelectual típico sai do armário e solta toda a sua verborragia, com frases como futebol é o ópio do povo, futebol distrai a população para o que é "importante", futebol aliena e outros lugares-comuns. Mais ou menos igual ao período do natal, em que os bolcheviques de bazar também saem do armário e mostram a "farsa" e "farra capitalista" que é a data.

E nesse período a pseudointelectualidade e "intelligentzia" tupiniquim começará a escrever e produzir diversos textos sobre política, filosofia, economia, sociologia, antropologia, psicologia e qualquer outra "porralogia" pseudocientífica chata em fóruns, comunidades do orkut, blogs, comentários de blogs e onde mais for possível. Afinal, além do pseudointelectual típico odiar futebol, o mesmo pseudointelectual típico adora posar de politizado.

Portanto, blogueiros que gostam de falar sobre futebol e forem falar algo a respeito da copa, se preparem para a invasão dos pseudointelectuais. Eu já me preparei. Estou aqui com a minha espada e o meu mangual.

PS: Post originalmente publicado em 10 de junho de 2010, quando ia começar a copa do mundo da África do Sul, de 2010, aquela porcaria. Nem devo dizer que o texto ainda continua atualíssimo. E ainda por cima tem um agravante.

PPS (não o partido): Será que esse negócio de caçar para-quedista ainda funciona?

PPPS: É assim que se escreve para-quedista?