Pesquisar este blog

Jesus Cristo voltou. Ele voltou.

Toda hora se fala que Jesus Cristo vai voltar, que Jesus Cristo está voltando, que as pessoas devem voltar para eles antes e blablablá, blablablá, blablablá.

Só que o que muita gente não sabe é que ele voltou. Sim meus senhores, ele voltou. E voltou como um esportista. Mais precisamente um jogador de Rugby.

Sim, meus senhores, o homem voltou. O filho do dono de tudo voltou. E se duvidam de mim, é só olhar a imagem abaixo:


Só pode ser ele. Cabelos longos e escuros, barba espessa e escura, olhos escuros, branco, alto, forte. É ele, poxa vida.

Agora que ele voltou, tratem-se vocês de se regenerarem e de se redimirem.

PS: Mudando completamente de assunto. Hoje, 31/01/2009, esse blog colhe o seu primeiro caju. Completa a sua primeira primavera. Hoje faz 1 ano que eu iniciei esse blog. E não vai ter festa, não vai ter comemoração, não vai ter nada. É só para deixar avisado.

Sobre mulheres bonitas, propagandas e faculdades particulares.

Esse texto surgiu da discussão com uns amigos. O que se discutia era a presença de mulheres bonitas em propagandas de faculdades particulares.

Não sei se vocês já perceberam, mas sempre, numa propaganda de alguma faculdade particular (especialmente aquelas faculdades caça-níquel que tratam o aluno como um cliente), sempre aparecem mulheres bonitas fazendo a apresentação da faculdade (a Ana Hickmann é um exemplo). Essas mulheres aparecem falando em televisão, rádio; ou estampando jornais e outdoors; e aparecem falando das vantagens de se matricular e estudar nessas faculdades. Já reparam nisso?

É mesmo Lucho. Nunca parei para reparar. Por que será que eles fazem isso?

Talvez para mostrar que tem algo de bom em faculdades particulares. Talvez seja também para mostrar que, mesmo você não passando nos vestibulares de universidades de verdade públicas, não é o fim do mundo. Segundo a propaganda, nas faculdades caça-níquel há gente bonita. Não importa se depois de formada, a pessoa terá dificuldade para conseguir um emprego, o que importa é que ela vai estudar junto com pessoas bonitas. Isso, segundo o que é veiculado nas propagandas.

Aliás, você já viu propaganda de alguma universidade pública? Pois é, elas não fazem. E não fazem porque não precisam.

Quer dizer, as universidades públicas fazem propaganda sim. Mas fazem o tipo de propaganda mais eficiente e que se espalha com maior rapidez, que é a propaganda boca a boca.

Dane-se que em boa parte das universidades públicas os alunos sejam tratados como números. Prefiro mil vezes ser tratado, num estabelecimento de ensino, como um número do que como um cliente. Prefiro que o estabelecimento esteja interessado em mim, ao invés de estar interessado no dinheiro dos meus pais.

E se você é um aluno que não conseguiu passar num vestibular de universidade pública e faz alguma faculdade particular, vier aqui me encher o saco dizendo que o papai tem dinheiro para pagar o curso, eu tenho uma musiquinha muito bonitinha cantada pelos alunos de universidades públicas para te dar como resposta:

"Seu pai é rico? Ainda bem... Paga o seu curso e o meu também."

Você bem que gostaria de fazer um curso de universidade pública. Se você não gostaria, garanto que os seus pais gostariam muito.

Aulas de "ingreis": Conversação.

Lembram do texto em que eu mostrei um anúncio extremamente mal traduzido de um curso de inglês?

Pois então, encontrei uma pessoa que foi ter lições nesse curso. E lições de conversação. O resultado final pode ser visto no vídeo abaixo (o vídeo está legendado):


E então? Estão convencidos da eficácia e da qualidade do curso de "ingreis"?

Os intelectuais, os artistas, a hipocrisia e a destruição de uma cidade.

Voltei. Depois de mais de uma semana sem textos, estou de volta.

E volto com um ótimo texto que eu recebi num e-mail, assim como aquele texto que relacionava o orkut à falta de privacidade.

O texto que eu recebi foi escrito pelo editor-chefe do jornal de Brasília, Sylvio Guedes e foi publicado em 2002; e mostra como a elite intelectual, a classe artística, as classes média e alta do Rio de Janeiro contribuíram para o atual estado de insegurança da cidade maravilhosa e para o poder das milícias e dos chefões do tráfico. Esse pessoal que, hipocritamente, organizam movimentos pedindo o fim da violência na cidade maravilhosa.

Um ótimo texto, bem direto (já começa pelo título) e que contem muitas verdades. Acredito eu que muitas pessoas que leram essas verdades se sentiram ofendidas e xingaram o jornalista até dizer chega.

Bem, chega de rodeio. O texto é este abaixo:
'Eles ajudaram a destruir o Rio'.

É irônico que a classe artística e a categoria dos jornalistas estejam agora na, por assim dizer, vanguarda da atual campanha contra a violência enfrentada pelo Rio de Janeiro.

Essa postura é produto do absoluto cinismo de muitas das pessoas e instituições que vemos participando de atos, fazendo declarações e defendendo o fim do poder paralelo dos chefões do tráfico de drogas.

Quando a cocaína começou a se infiltrar de fato no Rio de Janeiro, lá pelo fim da década de 70, entrou pela porta da frente.

Pela classe média, pelas festinhas de embalo da Zona Sul, pelas danceterias, pelos barzinhos de Ipanema e Leblon.

Invadiu e se instalou nas redações de jornais e nas emissoras de TV, sob o silêncio comprometedor de suas chefias e diretorias..

Quanto mais glamuroso o ambiente, quanto mais supostamente intelectualizado o grupo, mais você podia encontrar gente cheirando carreiras e carreiras do pó branco.

Em uma espúria relação de cumplicidade, imprensa e classe artística (que tanto se orgulham de serem, ambas, formadoras de opinião) de fato contribuíram enormemente para que o consumo das drogas, em especial da cocaína, se disseminasse no seio da sociedade carioca - e brasileira - por extensão. Achavam o máximo; era, como se costumava dizer, um barato.

Festa sem cocaína era festa careta.

As pessoas curtiam a comodidade proporcionada pelos fornecedores: entregavam a droga em casa, sem a necessidade de inconvenientes viagens ao decaído mundo dos morros, vizinhos aos edifícios ricos do asfalto.

Nem é preciso detalhar como essa simples relação econômica de mercado terminou.

Onde há demanda, deve haver a necessária oferta.

E assim, com tanta gente endinheirada disposta a cheirar ou injetar sua dose diária de cocaína, os pés-de-chinelo das favelas viraram barões das drogas.

Há farta literatura mostrando como as conexões dos meliantes rastacuera, que só fumavam um baseado aqui e acolá, se tornaram senhores de um império, tomaram de assalto a mais linda cidade do país e agora cortam cabeças de quem ousa-lhes cruzar o caminho e as exibem em bandejas, certos da impunidade.

Qualquer mentecapto sabe que não pode persistir um sistema jurídico em que é proibida e reprimida a produção e venda da droga, porém seu consumo é digamos assim, tolerado.

Que a mídia, os artistas e os intelectuais que tanto se drogaram nas três últimas décadas venham a público assumir:

'Eu ajudei a destruir o Rio de Janeiro.'

Façam um adesivo e preguem no vidro de seus Audis, BMWs e Mercedes.
Precisa dizer mais alguma coisa?

PS: Você é meu amigo? Se você for meu amigo, me lembre de nunca mais tentar copiar o estilo do Arthurius de criar títulos.

Vai começar mais uma tortura.

Chegou janeiro, e como de costume nesses últimos anos, tem início a mais um edição daquela Bela Bosta Bizarra. Tem início a mais uma edição daquele programinha idiota exibido pela toda-poderosa que vai alienar bastante a população e encher bastante a cabeça do telespectador de merda. Alienação e encheção que vai durar até 2011. Mas vai fazer o quê? É isso que o povão quer, é isso que o povão terá.

Um bando de animais (12 ou 14 ou 16. Sei lá quantos) confinados, com mordomias, comendo do bom e do melhor e coçando o saco o dia inteiro, sendo assistidos por um bando de desocupados. E esse bando de desocupados torcem, se revoltam, ligam para o programa e gastam dinheiro a toa.

Mas o pior nem é isso. O pior é saber que tem provas de concurso público que fazem perguntas sobre o programa; e também a existência de um xarope, um escroto, um idiota, um estúpido, um estrume chamando esses animais de "heróis". Aqui vai um texto que diz muito do que eu penso de idiotas que chamam outros idiotas de heróis.

E é uma pena que, enquanto estiver passando esse programinha idiota, não passará o CQC, que só voltará em março. A única alternativa que me resta, como uma pessoa que trabalha e tem mais o que fazer (muito ao contrário do espectador médio desse lixo) é ir dormir.

Nossa Lucho, mas você não gosta desse programa?


E como o Cardoso fez no texto dele, eu também evitei colocar o nome do programa. Assim, eu não corro risco de nenhum paraquedista vir aqui atrás de informações sobre o programa e ninguém diz que eu estou caçando paraquedistas para o meu blog.

E se você gosta desse programa e ficou ofendidinho, com raivinha, ou putinho da vida com o que eu escrevi, por favor, morra. Grato. (tm Morróida).

Teste de honestidade

Não sei se eu disse isso aqui, mas eu sou um grande admirador e espectador do programa CQC, da bandeirantes. Eu acho que é o melhor programa que já surgiu desde o Show do Milhão. O CQC, assim como o Show do Milhão, são um desses raros programas de qualidade e inteligentes que aparecem em meio ao festival de porcarias, bizarrices, imbecilidades, idiotices e mau gosto que é esse grande lixão conhecido como televisão aberta brasileira.

Recentemente eu descobri uma série de vídeos de um quadro do programa, intitulado teste de honestidade. Aí vão os vídeos:


Os três vídeos, somados, têm pouco menos de 30 minutos, mas mesmo assim eu recomendo que cada segundo dos vídeos seja bem apreciado.

Depois de ver esses vídeos eu fiquei impressionado. Mas foi depois de ler esse texto que eu fiquei simplesmente chocado. Realmente vale aquele ditado de que todo povo tem o governo que merece. A população merece todos os políticos que tem. TODOS.

E termino o texto com mais um teste de honestidade. Esse teste do UOL. Consiste de 16 perguntas colocando em prova a honestidade das pessoas. Fiz 38 pontos. Quantos pontos será que o pessoal do congresso faria?

Para que serve a UNE? Eu mostro.

Nos primórdios do orkut, existia uma comunidade, da qual eu participava, que se chamava "Pra que serve a UNE?". Não sei se essa comunidade ainda existe (estou com preguiça de ver isso agora).

E como era nos primórdios do orkut, os arruaceiros digitais ainda não tinham tomado conta do pedaço. Assim sendo, a comunidade "funcionava bem". Todas as discussões eram sadias, inteligentes, amigáveis e interessantes. E o principal, ninguém queria mostrar que era mais entendido que o outro.

Boa parte dessas discussões girava em torno da pergunta que dava nome à comunidade. A maior parte dos integrantes dizia que a UNE tinha se tornado um trampolim para pessoas que queriam iniciar uma carreira política e que não contribuíam em nada com a entidade e o movimento estudantil; ou que a UNE traiu o movimento não representava os estudantes (eu escrevi esse, e esse outro texto que mostram como os estudantes não se sentem representados pela entidade) e que seguia interesses de partidos, de políticos, interesses politiqueiros, ou interesses do governo.

Pois bem, vou dar um exemplo que mostra como os integrantes da comunidade tinham razão naquilo que diziam e como a UNE tem servido como trampolim para uma futura carreira política. Aí vai.

Gustavo Petta, que já foi presidente da instituição e não fez porra nenhuma enquanto presidia a entidade e que concorreu ao cargo de vereador em São Paulo, foi empossado como secretário de esportes da prefeitura de Campinas. Se duvidam é só ler essa notícia.

Só que há um detalhezinho: Ele é estudante de jornalismo. Esporte e jornalismo têm tudo a ver, não?

Hoje é só uma secretaria municipal. Amanhã é uma secretaria estadual, depois é um cargo de vereador, deputado estadual, deputado federal, e assim vai galgando passos largos na política, usando a UNE como trampolim e sem contribuir em nada para o crescimento e fortacimento da entidade e do movimento estudantil.

É para isso que serve a UNE.

2009, o ano nacional dos feriados prolongados.

Depois de um ano (2008) em que os principais feriados caíram justamente no fim de semana, nada melhor do que outro ano em que praticamente todos os feriados serão prolongados.

Aí vão os feriados de 2009:
  • 01/01 - Confraternização Universal - Quinta-feira.
  • 24/02 - Carnaval - Terça-feira.
  • 10/04 - Paixão de Cristo - Sexta-feira.
  • 21/04 - Tiradentes - Terça-feira.
  • 01/05 - Dia do trabalho - Sexta-feira.
  • 11/06 - Corpus Christi - Sexta-feira.
  • 07/09 - Independência - Segunda-feira.
  • 12/10 - Dia da padroeira do Brasil - Segunda-feira.
  • 02/11 - Finados - Segunda-feira.
  • 15/11 - Proclamação da república - Domingo (nem tudo é perfeito).
  • 25/12 - Natal - Sexta-feira.
Portanto, um bom ano para quem quer viajar bastante.

A curiosidade a respeito dos feriados de 2009 eu encontrei nesse texto.

Hoje é dia de posse. Bem feito eleitores.

No Brasil, todo ano par é ano de eleição (puxa vida, quase não disse isso no blog). E todo primeiro de janeiro seguinte a um ano eleitoral é dia de posse de políticos eleitos.

Pois é. Hoje, 01/01/2009, tomam posse em todo o país os "novos" prefeitos e vereadores eleitos em outubro de 2008. E, a contar pelo que aconteceu no Rio de Janeiro, segundo o que o Arthurius escreveu, ou em São Paulo, pelo que o Rodrigo escreveu, ou em Porto Alegre, em que uma candidata a vereadora foi eleita por ser... a neta do Brizola (porque se não por isso, jamais seria eleita), ou em Pernambuco, onde Severino Cavalcanti se elegeu prefeito, ou aqui em Campinas, em que o presidente da câmara, envolvido com "funcionários fantasmas" e outros escândalos, não só foi re-eleito, como foi o vereador mais votado da cidade, eu desejo o seguinte:

Que a população, especialmente aquela que mais depende das ações do governo e aqueles que votaram nesses políticos, sofram bastante nesses próximos anos. Que essas pessoas se f... ferrem muito nesses próximos anos. Quem sabe assim tomam um pouco de vergonha na cara e aprendam a votar melhor nas próximas eleições. Cada povo tem o governo, os políticos e os governantes que merece.

Eu tenho pena e dó da parte da população mais esclarecida e bem informada que vai sofrer as consequências por causa de uma maioria alienada e inconsequente. Estou convencido cada vez mais de que o voto no Brasil deveria ser facultativo. Certa vez eu li uma frase (não sei quem escreveu isso) que dizia que algumas pessoas deveriam ser proibidas de votar. Deveria acontecer isso mesmo!
 

Eu sei quem você é

Em sei quem você é, de onde você é o que você está usando para acessar a Internet. Duvida? Então toma:


Powered by IPAddressLocation.org

Se quiser me xingar, vai em frente. Mas o seu IP ficará registrado.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST