Pesquisar este blog

Rápida aula sobre ordens de grandeza e prefixos.

Diariamente cientistas, professores, pesquisadores e até mesmo pessoas que não trabalham na área científica têm de lidar com números que são muito grandes, ou então são muito pequenos. Por exemplo, qual a massa da Terra, ou qual a massa de um átomo, ou qual a velocidade da luz dentro de um material, ou qual a duração de uma piscada de olho, ou quanto que dá para armazenar de informações num pendrive ou num disco rígido.

Para não ter que escrever um número com muitos algarismos, foi criada anotação a notação (corrigido. Valeu André) científica. Por exemplo, para não ter que escrever que a massa da Terra (em toneladas) é igual a um 6 seguidos de 21 zeros, escreve-se que é 6 x 1021 toneladas. Muito mais simples, não?

Mas ainda dá para melhorar. Que tal dar nomes a essas potências de 10? Surgiram aí os diversos prefixos que tanto conhecemos e usamos, como o giga, tera, mega, quilo, mili, micro, nano e outros. Maiores informações sobre esses prefixos podem ser vistos nesse texto.

Mas por que você está falando sobre tudo isso Lucho? Todo mundo sabe sobre isso.

É. Todo mundo sabe sobre isso, exceto jornalistas. Olha só o que foi publicado na edição atual da revista Época (clique para aumentar):


Pois é. Na ânsia de querer escrever, o jornalista acabou exagerando um pouquinho. Um pouquinho mesmo, quase nada.

Como está escrito naquele texto da wikipédia sobre prefixos (e que o jornalista não conhece), 7 TeV é equivalente a 7 teraelétrons-volt, ou então equivale a 7 trilhões de elétrons-volt (7 seguido de 12 zeros). Do jeito que está na matéria, foram 7 trilhões de trilhões de elétrons-volt, ou o equivalente a um 7 seguido de 24 (ui!) zeros. Um pequeno exagero do jornalista, não acham?

Mas vai querer o quê? Num país em que o governo se dá ao direito de cortar 18% do orçamento científico a gente pode esperar por isso.

Eu mandei um email para a direção de redação da revista Época a respeito do erro. Vamos ver se eu recebo uma resposta. Só espero que, se vier uma resposta, não seja no mesmo nível da resposta dada pela revista Veja quando a mesma cometeu um erro.
 

Eu ainda sei de onde você é

Não sei o que aconteceu que o script do IP Address Location pifou, mas eu ainda continuo sabendo onde você está (especialmente se você estiver numa escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal).

Se quiser me xingar, tudo bem, vai em frente, mas seu IP vai ficar registrado. E ai se for de uma escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal, pois você estará me xingando e usando meu dinheiro para fazer isso.

Últimos textos.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST