Pesquisar este blog

E falou o funcionário padrão.

Assim como eu fiz uma outra vez, eu resolvi destacar um comentário feito por um idiota na coluna do leitor de um jornal local.

O comentário está aí abaixo:


E também como eu fiz da outra vez, reproduzo o texto abaixo para melhor leitura e também, claro, para o Google indexar:

Feriados

Os 12 feriados nacionais e os 30 estaduais, que caem em dias úteis, vão causar uma perda de R$ 135,8 bilhões para o Brasil, em 2011 . O número representa quase 4% do PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País. Para se ter uma ideia do valor em questão, o maravilhoso Hospital-escola de São Carlos custou R$ 15 milhões em 2007, portanto daria para construir mais de 9 mil unidades em todo o País e não precisaríamos engolir a CPMF. Dois dos nossos principais competidores e membros do BRICs, a China, após uma reforma em 2008, definiu somente 9 feriados nacionais, e a Índia tem somente 7 feriados nacionais, dos quais somente três caem em dias úteis. Vamos trabalhar, minha gente!
Aproveitando que semana passada foi o dia do trabalhador, falou e disse o funcionário padrão. Ou seria o pelego?

Fora o erro gramatical de ter colocado a vírgula entre o sujeito e o predicado que está na primeira linha, e por duas vezes, há outras coisas a serem analisadas.

Primeiramente a respeito da "perda" de bilhões de reais com os feriados, esse número foi pego por meio de um estudo feito por economistas da Firjan. Muito bem, onde estão essas contas? Gostaria muito de ver esses números. Até porque, eu gosto de números.

Por acaso ninguém gasta dinheiro em feriado, seja viajando, tendo que gastar dinherio em pedágios, comprando suvenir e outros objetos, seja comendo (o duplo sentido é por sua conta)? Enfim, não há consumo nos feriados?

Na notícia linkada no segundo parágrafo acima, foi deixado um comentário que diz tudo o que eu pensei depois de ler a notícia (em especial sobre as "perdas"):


Já outra notícia diz que o país "deixa de ganhar" esse dinheiro com os feriados. Quer dizer que os economistas sabiam o quanto o país iria faturar se não fosse os feriados? Por acaso economista também é vidente? E esses econovidentes por acaso também previram a crise de 2008?


Aliás, ume pergunta (perguntar não ofende): Para que serve economista? Mas divago...

Depois o comentarista diz que a China e a Índia tem menos feriados que o Brasil. Eu achei essa página falando dos feriados da China. Tem menos, é verdade, mas olha a duração de alguns deles.

Por que os economistas da Firjan e o nobre comentarista que praticamente chamou o trabalhador brasileiro de vagabundo (olha a última frase) não protesta contra os nossos digníssimos e excelentíssimos políticos que trabalham de terça a quinta-feira e ainda têm férias de 45 dias, enquanto que o trabalhador comum tem 30 dias? E o pior é que se os nossos digníssimos políticos decidirem trabalhar no seu feriado, ainda ganham a mais por isso.

Provavelmente os economistas da Firjan e o nobre comentarista queriam que não houvesse feriados. Ambos queriam que os trabalhadores trabalhassem dia e noite, de segunda a segunda, sem descanso e sem pausa. Assim o país não "perderia" bilhões e bilhões com feriados inúteis.

Ah, dá um tempo! É muito moralismo pro meu gosto.
 

Eu sei quem você é

Em sei quem você é, de onde você é o que você está usando para acessar a Internet. Duvida? Então toma:


Powered by IPAddressLocation.org

Se quiser me xingar, vai em frente. Mas o seu IP ficará registrado.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Onde me encontrar

Onde podem me encontrar

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST