Pesquisar este blog

Eis aí a minha resposta

Recebi de algumas pessoas um texto falando de um deputado (deputado Cláudio Cajado, do DEM da Bahia) que, assim que assumiu o cargo de procurador da Câmara dos Deputados, baixou uma norma para banir da Internet todo material que seja "ofensivo", "depreciativo", "calunioso", "injurioso" ou "difamatório"  aos nossos digníssimos, honrosos, prestimosos, maravilhosos e valorosos políticos. Para mais informações, leia esse texto aqui (sim, é da Veja. É da Imprensa Golpista™).

A maior parte das mensagens que eu recebi falando dessa notícia foi com um tom de "Vai, fala alguma coisa agora", "O que você tem a dizer disso?" e outras frases com um tom "desafiador", já que eu tiro um sarro danado desse pessoal que se "mobiliza demais pela Internet e de menos na vida real" (vocês sabem, né? Os sofativistas). Bem, para quem me mandou esse texto, aqui vai a minha resposta, com bastante atraso. Ela tem duas partes.

A primeira parte. É óbvio que sou contra a essa medida. Não passa de censura e é inaceitável qualquer tipo de censura em democracias, ou mesmo em pseudodemocracias que querem que a gente acredite que são democracias.

E vindo de quem vem, essa medida não me surpreende nem um pouco. O deputado é do "democratas", aquele partido que já foi PFL, PDS e, voltando mais um pouco no tempo, Arena, o partido de sustentação da Ditadura Militar. Só no Brasil que um partido que apoiou uma ditadura muda de nome para "democratas". E ainda mais que vem do DEM/PFL/PDS/Arena da Bahia, o partido do Toninho Malvadeza. Aí é que não me surpreende mesmo.

Mas que nenhum petista, governista ou qualquer outro aliado do governo queira usar esse meu texto para panfletagem. Eu sei o que vocês andam aprontando nesses últimos dias, tá lei Carolina DieckmanPEC 33/2011 (com direito ao criador dessa excrescência, que também criou o excelente projeto de lei limitando o quanto as pessoas devem consumir, querer a cassação do Joaquim Barbosa) e PEC 37/2011, que visa acabar com uma das poucas coisas que ainda funciona nesse país, o Ministério Público.

Bem, é isso o que eu tinha a dizer. Certamente após eu ter escrito isso, alguém deve estar pensando...
"Ah, Lucho. Quer dizer agora que você vai começar a defender o sofativismo?"
NÃO!! Não vou começar e não estou defendendo o sofativismo e muito menos vou virar um sofativista. E aqui está a segunda parte da resposta. Se eu defendo o direito de alguém se expressar, significa que eu concordo com a pessoa, com aquilo que ela fala ou com aquilo que ela defende? Sabe o que um tal de Voltaire disse a (ou há? Sempre me confundo) uns 200 ou 300 anos atrás? Então, é o que se aplica aqui. Se tem gente que acha que revolução de sofá vai ter alguma serventia e algum resultado, deixa o pessoal fazer a revolução de sofá deles. Até porque, é mais material para eu me deliciar e me divertir. :-)

E outra, há casos em que ações cyberativistas que não foram revoluções de sofá e tiveram resultados práticos efetivos. Eu mesmo já dei o braço a torcer uma vez (aliás, duas vezes). Ou mesmo aquelas ações que não tiveram resultado prático, porém serviram como ferramenta de conscientização, como o Nihil escreveu uma vez (infelizmente o Nihil acabou com o blog e fechou todas as contas que ele tinha. Mas graças a Deus existe o archive.org e graças a Deus o texto que ele escreveu foi indexado pelo site. É esse aqui).

E me surpreende que uma medida como essa tenha sido tomada. Sinal de que eles estão se sentindo um pouco "incomodados" com a Internet. E é aí que está a minha surpresa. Eu sempre achei que os políticos cagassem para o que dizem deles na Internet. Ainda mais depois que milhares (milhões?) de pessoas gritaram #forasarney na Internet e nada aconteceu com o oligarca maranhense e depois que o Renan Calheiros disse que estava se lixando para o abaixo-assinado contra ele. Será que isso é um indicativo para que eu comece a mudar a minha opinião a respeito das revoluções de sofá? (Resp.: Não).

E, de novo, a implicante e esquizofrênica perseguição dos políticos de terra Brasilis contra o Google. Desde a época do finado Orkut (tinha que ser esse inútil senador crente), passando pela prisão do presidente da Google do Brasil (iG é da Imprensa Golpista™?) e chegando a essa medida desse deputado (perceberam que pediram para que se retire material do Orkut, Picasa, Blogger, YouTube e até mesmo do buscador?). Isso sem contar o Brasil é o país que mais pede para que se remova materiais postados em serviços da Google. Vai chegar uma hora que o pessoal de Mountain View vai se cansar dessa perseguição e vai fechar os escritórios que a empresa têm no Brasil. Pois parece que é isso que os políticos querem.
 

Eu ainda sei de onde você é

Não sei o que aconteceu que o script do IP Address Location pifou, mas eu ainda continuo sabendo onde você está (especialmente se você estiver numa escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal).

Se quiser me xingar, tudo bem, vai em frente, mas seu IP vai ficar registrado. E ai se for de uma escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal, pois você estará me xingando e usando meu dinheiro para fazer isso.

Últimos textos.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST