Pesquisar este blog

Vinte centavos por um Dia do Basta contra tudo isso que está aí?

[Lucho sendo sério. Ou tentando ser...]

Depois de muito tempo decidi dar os meus dois (quer dizer, vinte) centavos a respeito dessas manifestações que estão acontecendo em todo o país.

Primeiramente o que eu queria falar é que eu não sou contra manifestações. Caralho, eu tiro um sarro danado do pessoal que se mobiliza demais no sofá e de menos na vida real (sim, para mim há separação entre o que acontece na Internet e o que acontece na vida real. Dá licença?). Tiro sarro desse pessoal aqui no blog, tiro sarro desse pessoal no Tumblr e tiro MUITO sarro desse pessoal no Facebook. Tanto a ponto de já ter recebido um monte de block, seja de páginas, seja de usuários. Mas eu nem ligo


E em relação a essas manifestações em particular, essa é uma pergunta que eu sempre faço. Será que, enfim, o pessoal está vendo que revolução de sofá não adianta nada? Que tenha sido por conta de vinte centavos. Que seja.

Agora, não é porque eu não sou contra manifestações que eu vou deixar de fazer uma crítica, fazer uma observação a respeito, deixar de falar das coisas ruins que aconteceram ou então falar de algo que está me incomodando. Afinal de contas eu criei esse blog não foi para ficar quieto (ui! Que meda do Lucho! Arrepiei!).

Uma coisa ruim que aconteceu foram as depredações, pichações, quebra-quebra e outros tipos de vandalismo, confronto entre manifestantes e policiais, saques em lojas, agências bancárias que foram saqueadas e destruídas (OK, bancos são um bando de filhos da puta, mas não justifica. Além de que, os grandes e verdadeiros filhos da puta sequer trabalham nas agências). Além de boçais que aproveitaram o ensejo para expor a sua boçalidade em sua total altivez e plenitude. Boçalidades como essa, essa, essa, essa e essa. É lamentável.

Bem como também foi lamentável os militantes de partidos que foram agredidos pelos manifestantes simplesmente por usarem camisetas e bandeiras de partidos. Eu particularmente acho os partidos uma praga e eles se aproveitarem de manifestações como essa, por puro oportunismo, é inaceitável. Mas mais inaceitável é agredir e expulsar pessoas de manifestações por conta de bandeiras e camisetas (até imagino a cena. Os militantes de partidos sendo socados e expulsos do protesto sob os gritos de "sem violência"). Gostem ou não, queiram ou não os manifestantes, os partidos, o pessoal mais partidário, militantes e filiados a partidos também têm todo o direito de se manifestar e de se juntar ao protesto. Desde que não o faça de maneira oportunista, é claro.

Porém o que fez com que eu escrevesse esse texto foi ver que o protesto, que tinha uma pauta e uma reivindicação bem definida (diminuição das passagens de ônibus e "passe livre", essa coisa utópica) começou a incluir causas e mais causas das mais diversas e variadas, como o combate a PEC 33, combate a PEC 37, combate a "cura gay" aprovada pelo pastor viadinho (aquele do cabelinho), auditoria das obras da Copa, contra a Copa, pela diminuição dos impostos, Fora Fulano, Fora Beltrano, Fora Cicrano. Além dos já consagrados protestos "contra a corrupção", "pela educação", "contra a violência", "a favor da paz", "por mais saúde", "por serviços públicos de qualidade", esses protestos ultragenéricos em que não dá para para ser contra.

Não pode esquecer a máscara de Guy Fawkes. E obrigatória.

Periga do protesto se desfocar, se desnortear e acabar virando (se é que já não virou. [ATUALIZAÇÃO]: Já virou) um enorme "Dia do Basta" ou então uma grande "marcha contra a corrupção", bem ao estilo daquelas que já aconteceram dezenas de vezes em feriados (e isso não é exagero ou licença poética). Enfim, esses movimentos "contra tudo e todos" e "contra tudo isso que está aí" que nunca deram em nada. Que nunca deram, nunca dão e nunca darão em nada.

E quem acha que estou sozinho nesse pensamento, saibam que eu não estou sozinho não. O El País (será que ele é da Imprensa Golpísta™?) chamou essas manifestações de "esquizofrenia". O texto é esse aqui.

E para finalizar. Antes que você queira me xingar aqui nos comentários, me responda uma pergunta: O protesto da qual você vai participar (ou já participou) hoje, foi contra o que mesmo?
 

Eu ainda sei de onde você é

Não sei o que aconteceu que o script do IP Address Location pifou, mas eu ainda continuo sabendo onde você está (especialmente se você estiver numa escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal).

Se quiser me xingar, tudo bem, vai em frente, mas seu IP vai ficar registrado. E ai se for de uma escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal, pois você estará me xingando e usando meu dinheiro para fazer isso.

Últimos textos.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST