Pesquisar este blog

Se mais da metade dos votos forem nulos a eleição é cancelada... E já começou a encheção de saco.

[AVISO: Aos babacas ativistas (atualmente qualquer merda é "ativismo") pró e anti voto nulo que quiserem deixar o seu comentário iradinho e revoltadinho, peço que antes leiam o texto. Sim, ele é um tanto grandinho, mas leiam antes.]

Mal eu publiquei o meu texto falando e lançando a minha sensacional e extraordinária "campanha eleitoral", aquela em que eu disse que quem invadisse os meus espaços privados na Internet com campanha ou propaganda eleitoral ou política levaria um "BAN!" (e só no Facebook já foram 5. Dentre eles, um que fez propaganda política antecipada do cheirador. Para vocês verem que eu não estava de brincadeira), e eis que me chega a seguinte preciosidade na minha caixa postal, mandada por um filho da puta:

"Credo Lucho. Você tá chamando um parente ou amigo seu de filho da puta?"
Esclarecendo. Eu recebi essa mensagem de uma lista de discussão (sim, isso ainda existe) da qual eu faço parte (que, aliás, nem é de política. O que aumenta o drama). Portanto, quem mandou essa mensagem não é parente meu, não é amigo meu, sequer é um conhecido meu. Não sei quem é essa pessoa (e ficaria muito feliz se eu soubesse que essa pessoa não existe), não conheço essa pessoa e portanto posso chamar esse filho da puta de filho da puta.

Novamente reforçando aquela historinha da carochinha de que se mais da metade dos votos forem nulos, a eleição é cancelada, novos candidatos terão de concorrer, Papai Noel vai aparecer no meio do ano, o ET de Varginha vai voltar, a loira do banheiro vai desaparecer, Jesus vai voltar, o bicho papão não vai te pegar, Papai-do-céu não vai te mandar para o inferno e blablablá, blablablá e mais blablablá. E dessa vez é pior, pois o texto é essa penteadeira de puta, cheia de cores e alternando letras maiúsculas e letras minúsculas. Uma maravilha ler um texto escrito dessa maneira.

Em um texto que eu escrevi há um tempo atrás, com "previsões" do que ia acontecer no ano de 2010, falei a respeito desse hoax que voltaria a pulular por caixas de mensagens e postagens de blog naquele ano, que era ano eleitoral. É incrível como em todo ano eleitoral sempre tem um lazarento filho de mãe solteira para ressuscitar esse hoax.

Sim, você leu direito. Chamei essa história de hoax. E chamei de hoax porque é isso que essa história é. Um hoax. Uma mentira. Uma tapeação. Uma farsa. Um embuste. Mesmo que 99,99% dos votos de uma eleição sejam votos nulos, a eleição não é cancelada e os candidatos não são impugnados. Os três maiores repositórios de farsas e embustes da Internet brasileira (o QuatroCantos, o Boatos.org e o E-farsas) já falaram a respeito dessa lenda.

Mas teve uns trechos desse texto em forma de penteadeira de puta que me chamaram a atenção. Aí vão:
"Acha que é mentira? Ligue para o Superior Tribunal Eleitoral... Ligue para a OAB... "
Se eu acho? Eu não acho. Eu tenho certeza. Além disso, esse trecho é a uma prova de que todos aqueles que acreditam e compartilham hoaxes como esse e outros devem ter uma quantidade de neurônios abaixo do que é considerado normal. Caso a pessoa que me passou essa mensagem saiba (CLARO que não sabe) mas Superior Tribunal Eleitoral NÃO EXISTE. O que existe é Tribunal Superior Eleitoral, ou TSE para os íntimos.

Mas independente disso, será que essa pessoa realmente ligou para a OAB, TSE, TRE, STF e a casa do caralho para saber se essa história é realmente verdade? Aos mais desavisados, foi uma pergunta retórica.

E ainda falando em TSE, olha só o que o então presidente do TSE na época falou a respeito dessa história.

E aqui em baixo uma imagem para aqueles que têm ojeriza de ler textos grandes (textos com mais de cinco linhas):


"Imagine uma eleição onde os candidatos sejam: Paulo Maluf, José Dirceu, Marcos Valério, Delúbio Soares, Roberto Jefferson, ACM... Entre outros"
Desde quando Marcos Valério é político? E a mesma pergunta faço com relação ao Delúbio Soares. E ACM candidato? Só se for candidato ao Senado do Inferno. Gente bem informada é outros quinhentos.
"Aproveite e ligue também para a Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, O Globo, O Diário Catarinense, O Estado do Paraná, A Gazeta do Povo.., e todas as revistas e jornais importantes desse país, e então lhes pergunte por que isso nunca foi divulgado."
Claro, sempre tem que ter um dedinho da imprensa-golpista-burguesa-conservadora-fascista-reacionária-autoritária-malvada-feia-chata-boba-elitista-racista-branca-de-olhos-azuis. Achei até que demorou. Tudo de ruim que existe no país é de culpa única e exclusiva da imprensa-golpista-burguesa-conservadora-fascista-reacionária-autoritária-malvada-feia-chata-boba-elitista-racista-branca-de-olhos-azuis.

Por que os jornais, emissoras de rádios e televisão, revistas e portais nunca disseram nada a respeito disso? Talvez porque seja mentira? Acho que é por causa disso. Ou então é uma boa justificativa.
"Segundo a legislação brasileira, se a eleição tiver 51% de votos nulos, o pleito é ANULADO e novas eleições têm que ser convocadas imediatamente; e os candidatos concorrentes são IMPOSSIBILITADOS DE CONCORRER NESTA NOVA ELEIÇÃO!!! "
OK. E que porra de merda de bosta de caralho de lei é essa então? O idiota não fala. Pois bem, deixe que eu falo então, já que ele é preguiçoso demais para isso. É a lei 4737, de 1965. Também conhecida como código eleitoral. Lá pelas tantas, em seus artigos 220, 221, 222, 224 e 237, é dito o seguinte:
Art. 220. É nula a votação:
I - quando feita perante mesa não nomeada pelo juiz eleitoral, ou constituída com ofensa à letra da lei;
II - quando efetuada em folhas de votação falsas;
III - quando realizada em dia, hora, ou local diferentes do designado ou encerrada antes das 17 horas;
IV - quando preterida formalidade essencial do sigilo dos sufrágios.
V - quando a seção eleitoral tiver sido localizada com infração do disposto nos §§ 4º e 5º do art. 135. (Incluído pela Lei nº 4.961, de 4.5.1966)

Art. 221. É anulável a votação:
I - quando houver extravio de documento reputado essencial; (Inciso II renumerado pela Lei nº 4.961, de 4.5.1966)
II - quando for negado ou sofrer restrição o direito de fiscalizar, e o fato constar da ata ou de protesto interposto, por escrito, no momento: (Inciso III renumerado pela Lei nº 4.961, de 4.5.1966)
III - quando votar, sem as cautelas do Art. 147, § 2º. (Inciso IV renumerado pela Lei nº 4.961, de 4.5.1966) 
a) eleitor excluído por sentença não cumprida por ocasião da remessa das folhas individuais de votação à mesa, desde que haja oportuna reclamação de partido;
b) eleitor de outra seção, salvo a hipótese do Art. 145;
c) alguém com falsa identidade em lugar do eleitor chamado.

Art. 222. É também anulável a votação, quando viciada de falsidade, fraude, coação, uso de meios de que trata o Art. 237, ou emprego de processo de propaganda ou captação de sufrágios vedado por lei."

[...]

Art. 237. A interferência do poder econômico e o desvio ou abuso do poder de autoridade, em desfavor da liberdade do voto, serão coibidos e punidos.

§ 1º O eleitor é parte legítima para denunciar os culpados e promover-lhes a responsabilidade, e a nenhum servidor público. Inclusive de autarquia, de entidade paraestatal e de sociedade de economia mista, será lícito negar ou retardar ato de ofício tendente a esse fim.

§ 2º Qualquer eleitor ou partido político poderá se dirigir ao Corregedor Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, e pedir abertura de investigação para apurar uso indevido do poder econômico, desvio ou abuso do poder de autoridade, em benefício de candidato ou de partido político.

§ 3º O Corregedor, verificada a seriedade da denúncia procederá ou mandará proceder a investigações, regendo-se estas, no que lhes for aplicável, pela Lei nº 1.579 de 18 de março de 1952.
E como tiro de misericórdia, o artigo 224:
Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.
Se não quiser acreditar em mim, não acredite, oras. Basta ver o que diz a lei, com os seus próprios olhinhos de noite serena. Eu coloquei o link. Vai lá ler.

A menos que você seja um analfabeto (sim, chamo quem não consegue interpretar textos de analfabeto. E foda-se o politicamente correto), acho que ficou bem claro. O que causa a revogação, ou anulação, de uma eleição são problemas nas candidaturas ou então na votação ou mediante uma decisão judicial. E caso uma dessas três coisas (ou mais de uma) atinja mais da metade dos votos. E não o fato de mais da metade do eleitorado ter votado nulo.
"DIVULGUEM PELO MENOS PARA QUE AS PESSOAS SAIBAM... "
Todo hoax tem que ter essa frase. É a regra número zero de como um hoax deve ser.

Portanto, acho que está mais do que claro que voto nulo não anula eleição. Mas aí quando a pessoa que compartilha essa mentira vai mostrar "exemplos" de lugares em que voto nulo realmente anulou uma eleição, eles sempre citam os os exemplos do que aconteceu em Bom Jesus do Itabapoana, Pádua e Seropédica (no Rio de Janeiro), Divina Pastora e Nossa Senhora de Lurdes (em Sergipe), Flores de Goiás, Alvorada do Norte, Palestina de Goiás e São João da Aliança (em Goiás), Boca do Acre (no Amazonas. Pensou que era no Acre, né?) e Francisco Sá e Bocaina (em Minas Gerais). Será que esse pessoal consegue apontar esses lugares no mapa? Não vale olhar Google e nem Wikipédia.

Ou esse pessoal que cita os exemplos do parágrafo acima só fez pesquisar no Google, encontrou resultados e depois saiu papagaiando por aí, ou esse pessoal possui sérios problemas de alfabetização, ou esse pessoal acreditou no que falavam por aí e tomou isso como verdade e seguiu aquela de que quem conta um conto aumenta um ponto, ou então esse pessoal sofre de TDAH severa e não consegue ler textos que tenham mais do que quatro linhas, ou então é tudo isso e mais um pouco. Olha só o que é falado sobre essas cidades (os grifos são por conta desse seu criado):
"O município teve considerado nulos 91,97% dos votos porque os dois primeiros colocados na eleição para a Prefeitura tiveram as candidaturas impugnadas. Desta forma, segundo a lei eleitoral, os votos deles são considerados nulos."
"Vários candidatos eleitos que tiveram seus votos computados como nulos (por estarem com seus registros de candidatura indeferidos) continuam aguardando a decisão da Justiça Eleitoral." 
"Os 1765 votos dados a Dito Augusto (PDT) foram considerados nulos, já que sua candidatura foi questionada no TRE-MG."
"Nesses dois municípios, a maior parte dos votos foi anulada devido a irregularidades nas principais candidaturas."

Para quem não sabe, indeferido significa "aquilo que não foi aceito".

Eu sei que com a criação do Twitter e com a criação e consolidação da geração Twitter (aquela geração que considera mensagens de 140 letrinhas como textos completos), o pessoal não gosta de ler textos longos. Mas, puta merda, será que é tão doloroso e tão sacrificante assim ler apenas os três primeiros parágrafos de um texto? Ainda mais de uma manchete?

Sim, meus senhores e minhas senhoras. Esses trechos que eu destaquei foi ao ler esse texto antigo e esse outro texto também antigo do Terra (lembrando para os padrões de Internet, 10 anos é como se fosse uma outra era), esse texto do Globo (imprensa golpista!!) e esse texto do G1 (G1 é da Globo. Imprensa golpista!!).

Por essas e outras é que eu reforço o que eu disse naquele meu texto anterior. Eu O-DEI-O ano eleitoral. DE-TES-TO mesmo. As ruas são tomadas por uma poluição de outdoors e cavaletes e a Internet em ano eleitoral vira um inferno. Fica uma bosta. OK, mesmo em ano que não tem eleições a Internet já é uma merda. Em ano de eleições então, piora consideravelmente. E é assim de 2 em 2 anos. Arre!!!
"Tudo bem, Lucho. Voto nulo não anula eleição. Mas o que você acha de quem vota nulo e do voto nulo?"
Well(come Maguila), isso aí já é ooooooooooooutra história. Eu vou escrever o que eu penso do voto nulo e de quem vota nulo de uma maneira bem pausada, bem devagar e bem detalhada porque a quantidade de analfabetos e semianalfabetos que usam a Internet aumenta a cada dia mais e mais. E o pior é que esses analfabetos e semianalfabetos tem uma boca enorme, dedos inquietos e acham que tem o direito de dar sua opinião a respeito de tudo em todos os lugares. Além de que, certamente esses analfabetos já estão achando que eu escrevi esse texto porque estou mancomunado com a imprensa-golpista-burguesa-conservadora-fascista-reacionária-autoritária-malvada-feia-chata-boba-elitista-racista-branca-de-olhos-azuis no intuito de denegrir, desvirtuar, difamar e ridicularizar essa jenealíçema campanha.

O que eu acho do voto nulo? Eu acho um voto válido. Tão válido quanto votar num candidato qualquer ou num partido qualquer (no caso de voto de legenda). Além disso a pessoa tem todo o direito de votar nulo. Se a pessoa pesquisou e viu que não tem ninguém que presta, ou se nem pesquisou direito, ou se não confia em nenhum dos candidatos e nenhum dos partidos, ou se só está indo votar porque é obrigado, ou se não gosta de política, ou se tá pouco se fudendo pra política, ou se acha que votar não serve para nada e que votar não muda nada o que ela vai fazer? Numa situação ideal, com voto facultativo, essa pessoa sequer sairia de casa no dia de eleição, porém estamos longe da situação ideal. E aí? Vai votar no menos pior? Votar em qualquer um? Melhor votar nulo. Até tem a opção de não ir votar, ir justificar e pagar a multa, mas isso dá muito trabalho e é muita burocracia. Antes que falem, sim, sou preguiçoso. E antes que falem de novo, saibam o que Bill Gates achava de ter funcionários preguiçosos.

Quer dizer, até existe uma alternativa, que seria o cidadão pegar em armas e fazer uma revolução armada (aux armes, citoyens!! Formez vous bataillons!!), mas pelo perfil de quem compartilha essa história, percebe-se que se trata de um sofativista. E, como eu sempre disse, sofativistas são conhecidos por serem burros (não precisava nem ter dito isso, né?), preguiçosos e covardes. Portanto, isso jamais aconteceria.

E escrevi o que escrevi dois parágrafos acima pois estou pensando seriamente em votar nulo de fio a pavio. Eu vou votar esse ano apenas por obrigação. Por que essa minha vontade de só votar nulo? Digamos que é porque eu esteja um tanto decepcionado e desgostoso com esse nosso sistema de "democracia representativa", cada vez menos democrática e cada vez menos representativa, mas isso é outra história. Que fique claro que essa minha desilusão não é por causa desse ou daquele político ou por causa desse ou daquele partido. Portanto, não venham querer fulanizar ou partidarizar esse texto.

Sei perfeitamente que votando nulo eu não vou anular ou cancelar a eleição. Mas e daí? Melhor do que votar em qualquer um, ou votar por votar.

Achar que votar nulo é uma revolução é estupidez (assim como atualmente qualquer merda é "ativismo", qualquer merda também é "revolução"). Bem como é estupidez achar que se mais da metade da população votar nulo a eleição é cancelada. Assim como é estupidez achar que voto nulo é voto de protesto. Agora estupidez também é achar que votar nulo é um crime de lesa-pátria (corrupção, clientelismo, fisiologismo e outras lindezas do gênero não são coisas graves, segundo esses gênios). Também é estupidez (e extremamente idiota) dizer que votar nulo enfraquece a democracia e pode nos levar para uma ditadura (mesmo porque todos nós sabemos que na época da ditadura militar não existiam partidos, não existiam eleições e ninguém votava). E também é estupidez achar que quem vota nulo é alienado. Ou vai me dizer que quem vota em Genoíno, Russomano, Bolsonaro, Sarney, Collor, Renan Calheiros, Maluf, Aécio, Waldemar Costa Neto, Alckmin e outros bostas do gênero é mais consciente do quem vota nulo? Nem a pau.

E estupidez maior (além de uma afronta e um acinte) é achar que quem vota nulo não tem o direito de reclamar, protestar, reivindicar ou exigir direitos. Fosse assim crianças e adolescentes (que não votam, caso tenham se esquecido) não poderiam reivindicar nada. Bem como aposentados, que não são obrigados a votar e boa parte deles acabam não votando.

Pessoal (em especial os viciadinhos em voto) tem que parar de achar que democracia é só votar e nada mais. Aliás, o fato de existir eleições e as pessoas votarem não quer dizer nada. Democracia e política vão muito, mas muito, além desse ato que dura menos que um minuto. E votar não é tudo isso que dizem não, viu? Para falar bem a verdade, votar é apenas uma parte ÍNFIMA e MINÚSCULA (sim, sei que causei um ataque cardíaco nos viciadinhos em voto) do processo democrático. Prefiro (e aliás, tem muito mais serventia) um cara que vota nulo (ou nem vota) e vai cobrar esses filhos da puta ou então que realiza outras atividades sociais e políticas (obviamente estou excluindo todo e qualquer tipo de ativismo de sofá), do que um cara que vai bovinamente a uma seção eleitoral (faltando apenas dizer "muuuuuuuuuuuu..." para a urna) para votar e "assumir seu papel de cidadão" e "exercer a sua cidadania" (me dá ânsia de vômito quando leio ou escuto essas frases), fica com a sensação de "dever cumprido" e depois disso não faz mais nada.

Tudo isso que eu escrevi sobre o voto nulo eu me baseei nesse ótimo texto que eu já citei aqui numa lista de links da semana. Não preciso nem dizer que concordo integralmente com o que foi dito naquele texto. E ainda por cima o autor do texto teve o ótimo gosto de colocar um vídeo do mestre George Carlin.

E para finalizar, sei que eu escrevi palavrão demais nesse texto. Queiram me perdoar, mas foi só nesse texto. Podem ficar tranquilos que isso nunca mais vai acontecer. Afinal de contas eu sou o Lucho e não o Felipe Neto, Cauê Moura ou então aquele retardado débil mental do João Revolta (sem links para os canais dele no YouTube de propósito).
 

Eu sei quem você é

Em sei quem você é, de onde você é o que você está usando para acessar a Internet. Duvida? Então toma:


Powered by IPAddressLocation.org

Se quiser me xingar, vai em frente. Mas o seu IP ficará registrado.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST