Pesquisar este blog

Zuckerberg bonzinho.

Depois de tantas notícias ruins eis que tem uma notícia boa (ao menos uma notícia boa par mim). Fui premiado. E em dinheiro. Vou ganhar uma bolada. Vou ficar milionário.

Não. Não foi com a mega-sena, que obviamente, todo mundo sabe, os sorteios são manipulados para fazer vencer algum político de Brasília. Todo mundo sabe que as bolinhas tem pesos diferentes. Assim, as bolinhas mais pesadas caem primeiro e são essas bolinhas as que o político apostou.

Aliás, os sorteios? São sempre realizados em algum fim de mundo que ninguém conhece e que tem poucos habitantes, assim fica fora das vistas de todo mundo que os sorteios são fraudados. Como? Os sorteios 1761, 1760 e 1759 foram realizados em Manacapuru (que tem quase 100 mil habitantes)? Os sorteios 1755 e 1754 foram realizados em Ubatuba (que também tem quase 100 mil habitantes)? Os sorteios 1754 e 1753 foram realizados em Manaus? E só para despistar. A verdade é essa. Eu não sou Otário para engolir o que os outros me dizem (isso incluindo vlogueiros famosos).

Voltando ao prêmio. Recebi um prêmio de 1,6 milhão de dólares vindo do Facebook. Duvidam? Então olha só o e-mail que eu recebi:


Zuckerberg muito bonzinho. Foi assim que ele ficou bilionário, dando dinheiro para todo mundo. Depois dessa, até paro de referir ao Facebook por Facebosta, Faceburro, Facebunda, Feicibuqui ou qualquer outra designação pejorativa. E me deu essa bolada mesmo depois de ter bloqueado a minha conta e sabendo que eu uso extensões de navegador que bloqueiam os widgets do Facebook que coletam informações pessoais e invadem a privacidade da pessoa. Zuckerberg boníssimo.

E que coisa esse e-mail. Uma mensagem vinda de cargos altos do Facebosta... quer dizer, Facebook, ao invés de usar um e-mail facebook.com está usando um e-mail aol.com? Será que Marquinho comprou a AOL e não contou isso para ninguém? Essa minha indagação faz sentido, pois ele comprou o WhatsApp por US$ 16 bi, o istragão (como eles nunca me deram dinheiro, vai ser dessa forma que eu vou me referir a eles) por US$ 3 bi e a OculusVR por US$ 2 bi. A AOL atualmente deve valer o que Marquinho tem no cinzeiro dele.

A única coisa ruim foi esse alerta do GMail. Poxa GMail, quanta desconfiança. Até você desconfia que a loteria australiana pode premiar aqueles que moram fora da Austrália? Seja menos cético e mais crédulo.

De qualquer maneira, já estou indo pegar o meu prêmio. Obrigado Facebosta, Faceburro, Facebunda, Feicibuqui. Quer dizer, Facebook.

Confirmado: O Acre existe e sabe fazer hino

No ano passado eu escrevi um texto que surpreendeu muita gente. Naquele texto eu demonstrei que o Acre existe. Aliás, não só que o Acre existe como, ao contrário de São Paulo, tinha água. Mas, será que, além do Acre existir, ele possui um hino?

Sim, amiguinhos. Não são só países e times de futebol que possuem hinos. Estados e cidades também possuem hinos. Realizei uma busca pelos hinos dos estados e cidades brasileiras. Graças a esses tempos de Google e YouTube, a busca não foi hercúlea e achei rapidinho o que procurava.

Gente!!! Não só o Acre existe, como tem água e tem um hino belíssimo. Muito bonito mesmo. Quem duvida de mim, que o ouça então:
E aí? Não é bonito? Pelo menos eu achei. Tem uma letra belíssima (tudo bem que é longa. Continua sendo linda), uma melodia maravilhosa, uma harmonia fantástica e ainda por cima a cantora (que se chama Raquel Ribera) deu um show de bola de interpretação. Quase que fui às lágrimas. Malditos ninjas invisíveis cortadores de cebolas.

Já hino do estado de São Paulo? Bem, eu não diria que o hino de São Paulo é feio. Eu diria que é muito feio, horrendo, horroroso, pavoroso, medonho. Que me perdoem os nacionalistas paulistas extremados e extremistas (também se não quiserem me perdoar, estou evacuando e ambulando para vocês), mas é muito ruim. Quem quiser ouvi-lo, clique por sua conta e risco nesse link. Não me responsabilizo por eventuais consequências. É completamente o contrário do hino acriano. Letra horrível, melodia horrível, harmonia horrível, métrica horrível e a interpretação é medonha. Tanto que coloquei uma versão legendada, senão não dá para entender patavinas do que é cantado. O que deu impressão é de que socaram tantas referências históricas que não deu tempo para pensar na musicalidade.

Eu me indagava porque em alguns estados, nas partidas de futebol, depois do hino nacional, tocava o hino estadual, mas em São Paulo isso não acontecia. Ou então porque eu jamais aprendi o hino paulista na escola (acho que nem meus pais aprenderam o hino paulista na escola e se bobear nem os meus avós). Tive essas perguntas respondidas da maneira mais traumatizante possível. Meus ouvidos quase fugiram. E tem gente que falou "Ah! O hino do [nome do estado] é muito mais bonito!". Mas é óbvio! Qualquer coisa é melhor que essa bosta.

E já que estamos falando de hinos e de São Paulo, aproveitem também para ouvir o hino da cidade de São Paulo. Ei-lo. É um pouquinho melhor. É tão somente ridículo, que me perdoem os paulistanos nacionalistas extremistas e extremados (e novamente, se os piratas do Tietê não quiserem me perdoar, estou defecando e ambulando). A música de fundo parece mais trilha sonora do Gordo e o Magro. Tudo bem, é um hino extraoficial, mas ainda sim, vale.

Já que o Acre existe, poderia ensinar aos paulistas como se faz um hino. Ensinar noções de melodia, métrica, letra, harmonia, entonação, interpretação, cadência. E principalmente consertar esse verso ridículo "doma os índios bravios". Com bacamarte, arcabuz, mosquete ou garrucha até eu.

Já para os paulistanos, não precisa ir tão longe assim. Pode pegar algumas dicas aqui, aqui e aqui.

Também quero o meu companheiro - Parte 2.

Uma coisa que gosto de fazer quando estou sem ter o que fazer com tempo livre é relembrar e reler os textos que eu já escrevi. Um desses textos foi esse, a respeito da absurda e ridícula proposta feito por um grupo de pessoas que se autonomeiam e se autodeterminam "blogueiros progressistas" de sustentar os seus "blogs progressistas" com dinheiro público.

É um absurdo, não é mesmo? Usar dinheiro público para sustentar blogs? E o mais engraçado nessa história é que essa proposta foi feita por pessoas que criticam o fato do governo dar dinheiro em demasia (seja do próprio governo, seja das estatais) para veículos de comunicação (especialmente os grandes jornais, revistas e emissoras de rádio e televisão), crítica essa com a qual eu concordo, mas em compensação não se fazem nem um pouco de rogados de aceitar um dinheirinho público.

Eu achandova que esse evento foi algo isolado, mas vi que não. Deem só uma espiada no que eu encontrei:


Não são só os "blogueiros progressistas" de São Paulo, agora também tem os "blogueiros progressistas" querendo tirar uma lasquinha do dinheiro público pago pelos pagadores de impostos pernambucanos. E o negócio não ficou só na intenção. Foi criado um projeto de lei na ALEPE para isso. Por sorte existem políticos que pensam e uma deputada fez o mínimo que se podia esperar. Ficou contra essa medida ridícula. Entretanto, isso não parece ter abalado e ter feito os "blogueiros progressistas" pernambucanos esmorecerem. Tanto que essa projeto foi feito em 2014 e com a nova legislatura seria arquivado, porém, conseguiram desarquivar a proposta.

Mas teve uma outra coisa que me chamou a atenção no texto da imagem. Foi que algo muito parecido ocorreu no Rio Grande do Sul, O texto não disse qual era o número do projeto de lei, porém, curioso como sou, fui atrás dessa informação. E eis que encontrei o tal projeto de lei apresentado lá na ALRS. Fui ver e... NÃO ACREDITEI.


Isso mesmo. Lá no Rio Grande do Sul eles conseguiram! No Rio Grande do Sul, os parasitas "blogueiros progressistas" (quer dizer, vamos usar a nomenclatura correta. Não é "blogs progressistas", é "mídia alternativa") gaúchos agora são sustentados com o dinheiro pago pelos pagadores de impostos gaúchos. Até dou o número. É a lei 14541, de 2014.

Pois é. Essa "conquista" no Rio Grande do Sul, a tentativa em Pernambuco, a intenção em São Paulo. Esse pessoal não vai descansar enquanto todos não conseguirem arrancar um pouquinho de verba pública.

Isso mesmo. Todos. Pois alguns já estão abocanhando um pouco desse dinheiro. Seja de maneira velada, seja por baixo dos panos (aqui, aqui e aqui). Eis aí um tipo de site que se pode usar tranquilamente o AdBlock ou qualquer outro tipo de bloqueador de propaganda sem qualquer remorso. Aliás, acho até que esses blogueiros sequer ligam para isso. Afinal, ganhando milhares de reais de governos, por que se preocupar com a merreca que o AdSense rende?

Links da semana - 49

Vem aí mais uma lista de links da semana. Essa é a de número 49. Excepcionalmente numa segunda-feira:
E até a próxima lista. Que será a de número 50.
 

Eu sei quem você é

Em sei quem você é, de onde você é o que você está usando para acessar a Internet. Duvida? Então toma:


Powered by IPAddressLocation.org

Se quiser me xingar, vai em frente. Mas o seu IP ficará registrado.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST