Pesquisar este blog

#SuaPiadaMata

Ontem a porra ficou séria no Twitter. Os abnegados revolucionários de lá decidiram usar aquela rede social e os trend topics (por incrível que pareça, ainda tem gente que leva a sério os trend topics) para falar de um assunto muito importante. Sim, precisamos falar sobre o poder devastador que as piadas possuem. Por detrás de uma simples piada engraçadinha pode-se esconder uma arma de destruição em massa, capaz de matar e acabar com a vida de um monte de gente. E para falar sobre esse problema tão... problemático, o pessoal de lá decidiu criar a hashtag #SuaPiadaMata.

Sim, senhores, o que mata não são armas, nem bombas, nem morteiros, nem mísseis, nem foguetes, nem granadas, nem facas, nem espadas, nem mosquetes, nem bacamartes, nem baionetas, nem arcabuzes, nem Zyklon-B. O que mata são piadas.

Aqui um humorista sendo condenado pelas diversas mortes causadas por suas piadas

E o que pior pode acontecer não é ameaças de morte, de estupro, de sequestro, de rapto, de roubo dos bens ou então desejar que a outra pessoa tenha um câncer que nenhuma fosfoetanolamina consiga curar. O pior mesmo é ouvir uma piada e... RIR DELA!!!!!

Devo dizer aos senhores que concordo inteiramente com tudo isso que fora dito acima. De fato piadas são coisas maléficas, maledizentes e que podem matar várias pessoas.

Querem provas? Ok, então. Aqui a primeira prova de que sua piada mata:

Nunca li essa HQ. Que vergonha tenho de mim por isso.

E aqui a segunda prova de que sua piada mata:


Agora vocês estão convencidos de que #SuaPiadaMata?

Portanto gente, nada de fazer piadas dos outros. Nada de piadas de advogados, nem de bêbados, nem do joãozinho, nem do papagaio, nem de português, nem de bichas, nem de loiras, nem de gordos

E principalmente. Nada de piadas de políticos. Nade de dizer que é verdade aquela história de que o Lula fez três faculdades ou de que o Papa deixou o Alckmin mijar na estátua de São Pedro pois ele já tinha cagado em São Paulo.

Quer dizer, principalmente nada de piadas de judeus. Nunca, jamais, em nenhum momento de sua vida conte piadas de judeus para judeus, pois eles certamente conhecem todas as piadas que você conhece e mais outras piadas pelo menos mil vezes melhores.

E pior sou eu, que já contei e conheço diversas piadas de advogados e nunca consegui sequer machucar um que seja. Pelo visto meu arsenal é fraquíssimo e terei que me equipar melhor.

PS: Que fique claro, uma coisa é piada e outra coisa é bullying. Quando esse pessoal se referiu a piada, na verdade era para se referir ao bullying. Vocês sabem que são coisas bem diferentes. Claro que sabem, pois estou falando aqui com pessoas inteligentes.

Vidência é isso aí.

"Eu lembro, eu lembro, do cinco de novembro".

Não, esse texto não será sobre os asnonymous. É que no dia cinco de novembro foi o primeiro dia de mais uma edição do ENEM. E ao contrário dos anos anteriores em que o que mais se falou foi do show dos atrasados e de questões extremamente complicadas que perguntavam o que acontece quando o gelo derrete, neste ano o que mais se comentou foi a respeito do tema da redação.

Não, bando de millennials leite com pera. Infelizmente (para vocês) o tema não foi esse.

O tema da redação foi "desafios para a formação educacional de surdos no Brasil", o que surpreendeu muita gente, que achava que o tema seria "EUA x Coreia do Norte" ou "ideologia de gênero" ou "reforma trabalhista" ou "reforma política" ou "homofobia" ou "bullying e cyberbulling" ou "polarização na Internet" ou qualquer outro assunto batido e surrado à exaustão pela mídia e que já ficou tão chato de se ouvir sobre eles.

Bobinhos. Por que esse pessoal não entrou em contato com alguns videntes da Internet para saber qual seria o tema da redação da prova? Aqui alguns deles que previram qual seria o tema da dita cuja:
Só senti falta do senhor vidento Jucelino Nóbrega da Luz e a senhora videnta Carmel Palmieri que não previram o tema da redação. Será que os poderes mediúnicos, adivinhacionais, premonitórios e para anormais dos dois estão começando a enfraquecer? Assim vou começar a não confiar mais neles.

Deixando de lado poderes premonitórios, adivinhacionais, para anormais, mediúnicos, de vidência e outras picaretagens, do jeito que o pessoal reclamou, a impressão que deu foi que a prova simplesmente jogou o tema assim de maneira seca e pediu para os candidatos desenvolverem o texto do zero quando, como em qualquer prova do tipo, sempre há trechos de textos (que o pessoal que organiza as provas da UNICAMP chama de coletânea de textos) para guiar o candidato (ainda falando sobre a UNICAMP, uma das coisas que zerava redação era não usar a coletânea de textos) já que não dá para saber tudo de todos os assuntos.

Na verdade, o pessoal foi pego de surpresa e reclamou, dizendo que o tema sugerido foi idiota, pois queriam que a redação fosse um daqueles temas surrados ditos alguns parágrafos acima, já que, se bobear, alguns dos reclamões tinham uma redação esquematizada na cabeça prontinha para passar para o papel ou pensaram em usar as merdas que escrevem no facebosta na redação (para depois ficarem revoltados questionando o porquê suas redações foram zeradas).

Idiotice falar sobre formação educacional de surdos no Brasil, senhores reclamões? São cerca de 10 milhões de surdos no país. A lei 10436/2002 estabelece que LIBRAS é a segunda língua oficial do país. A mesma lei 10436/2002 (artigo 4°) e o estatuto da pessoa com deficiência estabelecem a obrigatoriedade de ensino de LIBRAS nos cursos de Fonoaudiologia e de Magistério e também a disponibilização de ensino bilíngue (LIBRAS e português) em escolas e salas de aulas inclusivas e, apesar de existir duas leis sobre isso, o que menos se vê são justamente escolas adaptadas aos alunos surdos (de repente, na redação, poderia ser falado sobre essas duas leis que, para variar, só existem no papel), com escolas jogando alunos surdos nas salas de aula e o professor que se vire para lidar com eles. O negócio é tão absurdo que tem aluno que deixa de fazer curso por falta de condições. Isso para aqueles que conseguem uma vaga num curso, já que a proporção de analfabetos entre os surdos é maior do que entre os não surdos, chegando em alguns casos a 95% da população de surdos. Ainda acha idiotice a escolha do tema, senhores reclamões?

De qualquer forma, aguardemos janeiro de 2018, pois até lá serão divulgados os resultados da prova. E se nesta edição o show dos atrasados foi murcho, o show das redações será um espetáculo, com gente escrevendo redação sobre Braille. E não seria surpresa alguma se não viram o LIBRAS (Linguagem Brasileira de Sinais) e acabaram escrevendo sobre astrologia. Além do que, nunca se esqueçam do número mágico: 92%.

E se teve uma coisa que me surpreendeu nessa história toda foi ter falado em "surdos" ao invés de "deficientes auditivos" ou "portadores de deficiência auditiva". De vez em quando é bom mandar o politicamente correto e a linguagem suave dar uma passeada lá pela avenida Vai Se Foder.

Links da semana - 57.

E vem aí mais uma lista de textos da semana. Será a primeira do mês de novembro (e também a última). Vamos lá então:
E é isso aí. Até a próxima.

Senhores economistas, peguem na minha e balança

Foi isso que eu disse quando li uma notícia (esta aqui ó) falando sobre a imensa quantidade de feriados que teremos em 2018 e o impacto negativo que essa imensa quantidade de feriados traria à economia, segundo estudos feitos por um bando de economistas formados pela Universidade Facebosta da Internet.

Segundo os nobres economistas formados pela referida universidade, a imensa quantidade de feriados do próximo ano (14, sendo que 12 deles podem ser prolongados) trariam um impacto econômico avassalador à economia da cidade, com ela "perdendo" R$ 1,4 bilhão, ou então R$ 1,5 bilhão, ou até mesmo R$ 2,1 bilhões (afinal, precisão é tudo na vida).

Como sempre, aquele antiquíssimo papinho bosta de que o país tem muitos feriados, que com esse monte de feriados o país perde dinheiro, empresários e economistas choram e blablablá blablablá whiskas sachê blablablá blablablá...


Primeiramente que... como assim perder dinheiro? A gente só perde dinheiro (na verdade, qualquer coisa) somente se algo estava lá. Como que os economistas sabiam a quantidade de dinheiro que se ia faturar nesses dias se não fossem os feriados? Economistas agora são videntes? De qualquer forma, gostaria de ver os cálculos usados pelos nobres economistas para que chegassem nesse impacto tão avassalador e crível.

Quanto aos empresários que também sentem o impacto tão gigantesco de tantos feriados e que também ficam de mimimi por conta disso, será que eles não sacaram que nesses dias as empresas que eles gerem não vão faturar tanto assim? Pela quantidade de mimimi deles eu acho que não e por causa disso não me surpreende o fato de que a maior parte das empresas brasileiras não passa do primeiro ano de vida.

Quanto a mim, o que tenho a dizer dessa quantidade enorme, imensa e absurda de feriados? ACHO ÓTIMO!!!!!!!! Serão muito bem vindo todos esses feriados. Trabalho pra caralho, não sigo aquela máxima retardada de trabalhar com que se ama mas gosto do que faço (e gosto ainda mais do salário que recebo no mês seguinte), apesar de ter que aturar gente idiota e gente que eu adoraria espancar se encontrasse por aí, mas tem momentos que a gente não está com muito pique e tem horas que tem que colocar a máquina para descansar e relaxar (o corpo e, principalmente a mente).

Se dependesse de economistas, empresários, empreendedores, funcionários cachorros ou funcionários padrões, não existiriam feriados, nem férias, nem sábado, nem domingo e funcionários (colaboradores é o cacete!!!) trabalhariam 24/7. Só acha ruim que se haja feriados e férias aquele pessoalzinho que não trabalha, não estuda e que as únicas coisas que fazem na vida são cagar, mijar e peidar.

Para terminar, assim como fiz no texto de seis anos atrás sobre o funcionário padrão, volto a fazer a mesma pergunta, afinal, perguntar não ofende. Para que serve economia e economistas? Se bem que economia, assim como sociologia, filosofia e antropologia são da área de humanas. Assim, creio que já esteja mais do que respondida a pergunta.

Fotos dos milionários da TelexFree, BBom, Pripples, MultiClick, Hinode, FRPromotora, etc...

Depois de admitir que eu sou um defensor da talidomida... quer dizer, fosfoetanolamina, agora venho por meio deste texto dizer que também sou um grande defensor das pirâmides financeiras do Marketing Multinível e de todas as empresas que praticam essa forma de negócio. Empresas como TelexFree, Forever Living, Sócios do Futuro, Herbalife, Hoken, BBom, FRPromotora, NNex, Pripples, Winner Manager, Avestruz Master, E-MAI NET, Empower Network, Worldlook, Ganhar Dinheiro, My Travel and Cash, UP! Essência, Rippln, UNEPXMIL, Dreams and Gold, Fábrica dos Milionários, Agente BR, Hinode, Omni Internacional, Blackdever, Boi Gordo, Global Multix, Sistema Trabalhe em Casa, Multiclick, Multilike, Amway, Monavie, Tahitian Noni, Dinastia MCMXCIX, Mister Colibri, Ajuda Mútua, Ação Entre Amigos, A mina de ouro

E o que me fez defender o Marketing Multinível foi a quantidade de grandes revendedores que tiveram suas vidas transformadas graças a essas pirâmides... cahan... graças a essa nova forma de comprar e vender produtos.

Se eu tenho prova de tudo o que estou dizendo? Mas é claro que eu tenho. Segue abaixo fotos de felizes revendedores que tiveram suas vidas transformadas:

Um feliz revendedor da TelexFree que comprou um canhão (in memoriam).

Já esse aí comprou um avião com o que ganhou da BBom.

E esse que comprou um castelo. Tudo graças à MultiClick.

Uma Ferrari vermelha, conseguida com a Pripples. Aliás, dizem que ele tem um coleção delas, todas graças à Pripples.

Um Bentley preto que veio graças à FRPromotora.

Um Jaguar azul. Cortesia da Multilike.

Novamente, Ferraris. Um feliz revendedor da Hinode junto de sua rede.


Ops!! Imagem errada. Corta essa, produção.

E é isso aí. Por mais que haja um monte de invejosos que detestam ver a ascensão dos pobres, preferindo viver em seus medíocres empregos assalariados, e por mais que esse governo comunista que está aí odeie que pobre prospere na vida, as pirâmides financeiras o Marketing Multinível está transformando a vida de milhões de pessoas. Porra, está transformado até a vida de revendedor de mandioca. E o melhor de tudo, de uma maneira nem um pouco fraudulenta.

Não só isso. Além de revolucionar a vida de milhões de pessoas, o Marketing Multinível também é uma grande força política. Novamente, tem-se prova disso.


Depois de tudo isso, o que você está esperando? Venha ser mais um. Junte-se a nós e voe, voe cada vez mais longe e cada vez mais alto.

Junte-se a nós!!

A inspiração para escrever este texto foi este texto antigo e mal escrito do UOL. Mais precisamente, um comentário feito nele.

Frases e pensamentos de Paulo Freire, patrono da educação brasileira

Imagem roubada, com carinho, do Ceticismo.net, porém armazenada aqui. Nada de Hotlinking.

Depois de mais um mês em branco no ano da graça de 2017 aqui no blog, eis que estou de volta, com esse texto que é a prova número 6790217697536195075841167 que mostra como que políticos brasileiros, ministério e secretarias da educação levam a educação no Brasil muito a sério. Como todo mundo infelizmente já sabe (ou deveria saber) Paulo Reglus Neves Freire é considerado o patrono da educação brasileira. Foi através da lei 12612, de 13 de abril de 2012.

Mas afinal, não é surpresa alguma Paulo Freire ser o patrono da educação. Políticos dão ao povo o que o povo quer (o caso da Fosfoetanolamina é bem patente) e, principalmente, os políticos não dão ao povo aquilo que o povo não quer ou não se interessa. E a verdade é que a população não quer saber de educação. Sinto muito, mas é a verdade. Não adianta nada compartilhar imagenzinha revoltada no facebosta mas querer tirar satisfação com professor que deu nota vermelha para o floquinho delicadinho da mamãe.

Aliás, abrindo um enorme parêntesis. Como dizia o saudoso professor Pierluigi Piazzi, apenas em países e Estados pseudodemocráticos é que existem ministérios da educação. Em países e Estados democráticos o que existe são Ministérios da Instrução Pública, pois educação é função da família. Fecha parêntesis.

Vejamos então o que e de que maneira pensava o grande patrono da educação brasileira por meio de suas frases e que o fez merecer o título honorário:

"A humildade exprime uma das raras certezas de que estou certo: a de que ninguém é superior a ninguém."

Começando por uma das melhores frases dele (foi ironia, OK gente?) e que até parece frase de livro vagabundo de autoajuda. Ninguém é melhor do que ninguém o caralho. Algumas pessoas são melhores que outras sim. E isso não é demérito, arrogância, reacionarismo ou qualquer coisa que o valha.

Eu sou melhor em ciências exatas que muita gente que eu conheço (certamente, sou melhor que o pessoal que presta ENEM e acha difícil pergunta sobre o que acontece quando o gelo derrete). Em compensação sou um zero a esquerda em humanidades e há gente muito melhor que eu nessa área (embora eu continue achando que sou melhor que o pessoal que prestou o ENEM). Gostaria de ser astronauta da NASA, porém sei que isso não vai acontecer pois tem gente muito mais gabaritada do que eu para isso.

"Não há saber mais ou menos: há saberes diferenciados!"

Teoria da Terra Plana, do geocentrismo, da Terra jovem, de que vacinas contém mercúrio e causam autismo seriam saberes diferenciados?

"Quem ensina, ensina alguma coisa a alguém."

Aprenderam agora o que é um verbo bitransitivo?

"Não há vida sem correção, sem retificação"

Muito obrigado por dizer o óbvio, senhor patrono da educação. Pena que suas seguidoras detestem que se use caneta vermelha para corrigir as provas dos alunos.

"Se alguém quiser me insultar, me chame de santinho."

OK, Santinho. Ah!! E o correto aqui seria "chame-me...".

"É preciso que, pelo contrário, desde os começos do processo, vá ficando cada vez mais claro que, embora diferentes entre si, quem forma se forma e re-forma ao formar e quem é formado forma-se e forma ao ser formado."

Repetição desnecessária de uma palavra numa sentença. Aqui uma lição do patrono da educação a respeito do que não se deve escrever numa redação.

"E uma das condições necessárias a pensar certo é não estarmos demasiado certos de nossas certezas."

Nah!! Patrono da educação em seu momento professor Jirafales?

"Importante na escola não é só estudar, é também criar laços de amizade e convivência."

OMEUZOVO com esse papo de que professor tem que ser amigo de aluno, aluno tem que ser amigo de professor e aluno tem que ser amigo dos outros alunos. Professor é um profissional (sim, professor é profissão e não missão, viu Xandynho Gracinha) pago para ensinar aluno e não para ser amigo de aluno.

E aqui o que acontece quando professor quer ser amiguinho de aluno.





"Amar é um ato de coragem"

"Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade"

"O amor é uma intercomunicação íntima de duas consciências que se respeitam. Cada um tem o outro como sujeito de seu amor. Não se trata de apropriar-se do outro"

"A educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate. A análise da realidade. Não pode fugir à discussão criadora, sob pena de ser uma farsa"

"Num país como o Brasil, manter a esperança viva é em si um ato revolucionário"

"Quem começa a entender o amor, a explicá-lo, a qualificá-lo e quantificá-lo, já não está amando"

Chega a ser uma ironia digna de humor negro uma pessoa falar tanto em "amor" e "esperança" ao mesmo tempo em que falava de revolução armada e guerra civil e que achava que a morte de alguns civis inocentes era apenas um efeito colateral.

Provavelmente esse "amor" do paulinho não era aplicado aos reaças.

"Que é mesmo a minha neutralidade senão a maneira cômoda, talvez, mas hipócrita, de esconder minha opção ou meu medo de acusar a injustiça? 'Lavar as mãos' em face da opressão é reforçar o poder do opressor, é optar por ele"

"Não é na resignação, mas na rebeldia em face das injustiças que nos afirmaremos"

Agora Paulo Freire xingando muito os "isentões". É preciso lutar contra a opressão e as injustiças, mas de preferência fazendo revolução armada.

"Para a concepção crítica, o analfabetismo nem é uma ‘chaga’, nem uma ‘erva daninha’ a ser erradicada, mas uma das expressões concretas de uma realidade social injusta."

Paulo Freire e os seguidores e seguidoras dele tanto defendem e protegem os analfabetos que criaram um monte deles (sim, sempre aquele texto da imprensa-golpista-burguesa-conservadora-reacionária-autoritária-malvada-feia-chata-boba-elitista-racista-branca-de-olhos-azuis).

"O ser alienado não procura um mundo autêntico. Isto provoca uma nostalgia: deseja outro país e lamenta ter nascido no seu. Tem vergonha da sua realidade."

Claro que tinha que ter uma alfinetada nos "alienados" (a.k.a. gente que pensa diferente de mim).

"A educação bancária pensa: 'Sou o dono da verdade e o outro nada sabe'"

"Educação bancária", também conhecida como "educação que funciona".

"Tenho pena, e as vezes, medo, do cientista demasiado seguro da segurança"

Pois até mesmo o patrono da educação tem que mostrar o seu apreço pela ciência.

"Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino"

Olhem a frase acima.

"Só, na verdade, quem pensa certo, mesmo que, às vezes, pense errado, é quem pode ensinar a pensar certo"

"Gosto de ser gente porque, inacabado, sei que sou um ser condicionado mas, consciente do inacabamento, sei que posso ir mais além dele. Esta é a diferença profunda entre o ser condicionado e o ser determinado"

"Todo amanhã se cria num ontem, através de um hoje. Temos de saber o que fomos, para saber o que seremos"

"Não temo dizer que inexiste validade no ensino de que não resulta um aprendizado em que o aprendiz não se tornou capaz de recriar ou de refazer o ensinado, em que o ensinado que não foi apreendido não pode ser realmente aprendido pelo aprendiz"

"Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo"

"Esta é a razão pela qual o animal não animaliza seu contorno para animalizar-se nem tampouco se desanimaliza."


"Não basta saber ler que Eva viu a uva. É preciso compreender qual a posição que Eva ocupa no seu contexto social, quem trabalha para produzir a uva e quem lucra com esse trabalho"

Outra das grandes frases do patrono da Educação. Realmente, não basta saber ler, tem que saber o "Das Kapital", "Pedagogia do oprimido", "Pedagogia da autonomia" e "Noções de revolução armada" de cabo a rabo.

"Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor"

Seguindo o paradigma do relógio parado, aí uma coisa com a qual eu concordo com ele. De fato, quando a educação é uma bosta, o sonho do oprimido é ser opressor e não fazer justiça, mas agir na base da vingancinha. Alguns deles podem ser vistos aqui e aqui (e muitos deles seguem os pensamentos paulofreireanos).

E eis aí as frases e pensamentos de Paulo Freire. Não poderia ter pessoa melhor para representar um dos piores sistemas educacionais do mundo.

Aí vai ter gente dizendo que ele é formado na universidade tal, que tem título de Doutor Honoris Causa na universidades tal, tal, e tal. Grandes bostas. O que interessa é o que ele fez pela educação do país e a verdade é que ele FODEU com ela. Com estas porcarias de construtivismo e progressão continuada (nome lindíssimo e politicamente correto para se referir à aprovação automática) transformou o Brasil num país de analfabetos.

E o pior é que os pedabobos e pedabobas marxistas xiitas do socioconstrutivismo que dão a bunda para o espectro do Paulo Freire não percebem a merda que essa porra é. Não sabem (e sequer querem saber) de casos de países que aplicaram o socioconstrutivismo e depois o abandonaram pois a educação destes desceu a ladeira na banguela sem freio.

Exagero o que eu disse na última frase? Ok, pode até ser. Mas vamos aos números. O socioconstrumerdismo nos moldes paulofreireanos foi implantado, a força, no ano de 1995, como substituto do método silábico, ou "Caminho Suave", que era um sistema de educação bancário, tecnicista e alienante. A cada três anos, a OCDE realiza uma prova (chamada PISA) que visa analisar os países conforme o seu sistema educacional. Quais são os melhores e quais são os piores. A primeira edição foi em 2000, a segunda em 2003 e assim por diante. Foram seis edições. O Brasil de todas as seis edições. Como foi o desempenho? Vejamos como foi:
  • Em 2000, de 32 países o Brasil ficou no 32º lugar (isso mesmo. ÚLTIMO lugar).
  • Em 2003, de 41 países, o Brasil ficou no 40º lugar (melhorou. Agora pegou a penúltima).
  • Em 2006, de 48 países, o Brasil ficou no 44º lugar.
  • Em 2009, de 65 países, o Brasil ficou no 57º lugar.
  • Em 2012, novamente de 65 países, o Brasil ficou em 52º lugar (olha só que melhora).
  • E em 2015, de 72 países, o Brasil ficou em 65º lugar.
Tirando 2012, o Brasil sempre ficando entre os 10 primeiros (ops. Desculpe. Vi a lista de ponta cabeça). Pena que eu não tenho o material aqui para mostrar para vocês. Adoraria tê-lo para poder esfregar com força na cara das viuvinhas do Paulo Freire. Mas com força mesmo. Até sair carne viva.

Não estou dizendo que a ausência de diploma ou de titulação é melhor. Afinal, tem o autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho, que não tem um diploma, nem qualquer tipo de título e é outro boçal. Baixei o PDF da porcaria do livro que ele escreveu e digo que de graça aquela merda ainda foi cara. 

E com esse último parágrafo, creio eu que gerei raiva e ódio dos lados do puteiro, o que é muito bom.
 

Eu sei de onde você é

Duvida? Então toma esta:


Graças ao IPAddressLocation.org

Últimos textos.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST