Pesquisar este blog

Surto de depressão entre Youtubers. Como resolver?

Vi num vídeo do doutor Paulo Pirulla e num outro vídeo do Maurício Ricardo que, aparentemente parece estar a acontecer e a se alastrar um surto muito grande de depressão entre os produtores de conteúdo do Youtube (ou youtubers, ou youtubeiros). Isso é algo muito sério. Mas, felizmente, o titio Lucho está aqui para resolver este grande problema. Como curar a """"""depressão"""""" dos youtubeiros? Abaixo estão as soluções para a cura definitiva deste mal.
Até o Linkedin pode servir de cura. Pena que o Ceviu encerrou as atividades. Seria mais um a resolver o problema.

Sim, a solução para esse mal é deixar de vadiagem, de frescura e procurar um emprego de verdade e de gente decente (e pelo nível intelectual médio dos conteúdos dos youtubeiros, boa parte deles vão trabalhar como chapeiro, isso se souberem como se manipula uma espátula), pois youtubeiro dizer que está """"""depressivo"""""" e que está sofrendo de """"""depressão"""""" (com muitas aspas mesmo, já que depressão, assim como TOC, bipolaridade, TDAH e ansiedade são desordens neuroquímicas seríssimas para neguinho ficar usando-as para justificar incompetência, inépcia, cu doce ou frescura no rabo) só pode ser por conta de uma única razão: Acabou a mamata e a era do dinheirinho fácil deles. Acabou a era em que eles postavam qualquer bosta e jorrava o dinheiro, já que atualmente youtubeiro só quer saber de dinheiro. Estão piores que puta.

Quer dizer, para alguns, o dinheirinho fácil ainda vai continuar, pois se elegeram e serão políticos, e assim continuarão a ganhar muito dinheiro sem fazer porra nenhuma.

Já eu de minha parte não preciso de nada disso, pois eu estudei e tenho um EMPREGO. Eu TRABALHO. Desculpa aí, biatches. Mas se não quiser desculpar, tudo bem. Estou pouco me fodendo.

Um canal do Youtube, um youtubeiro e um faxineiro

Esta é uma linda história que eu recebi pelo WhatsApp. E como todos nós sabemos, se está no WhatsApp, então é verdade. Ainda mais se for uma história tão linda e crível como esta que vou vos apresentar.

Bom, chega de delongas e vamos à linda história:

Era uma vez um homem que estava desempregado e desesperado a procura de emprego. Ele soube que uma grande empresa estava contratando para a vaga de faxineiro. O homem então decidiu candidatar-se a vaga. Chegando na empresa, foi submetido a um teste. O homem foi muito bem no teste, deixando o chão limpíssimo, a louça limpíssima e as panelas estalando de brilhante de tão ariadas que estavam.

- Muito bom meu rapaz - disse o gerente de RH - o emprego é seu. Só me diga o seu canal do YouTube para que assim, possamos combinar o dia em que o senhor começará a trabalhar aqui.
- Mas eu não tenho canal no YouTube. Não tenho nem computador em casa - disse o homem, entrando em desespero e começando a chorar.
- Como assim não tem canal no YouTube? - perguntou estupefato o gerente de RH - o senhor não sabia que não tem canal no YouTube nem é gente? Sendo assim, se o senhor não é youtubeiro, o senhor não existe, e se o senhor não existe, não poderei te dar esta vaga de emprego.

Depois disso, o homem saiu desolado, sem saber o que fazer, com apenas R$ 10,00 no bolso. Ele passou em frente a um supermercado e conseguiu comprar uma caixa com 5 quilos de batata. Então ele decidiu vender as batatas e rapidamente conseguiu duplicar o patrimônio. Repetiu esse processo mais três vezes e conseguiu juntar R$ 60,00.

Então, ele verifica que consegue sobreviver assim. Sai de casa cada dia mais cedo e volta cada vez mais tarde, e assim triplica o dinheiro todo dia. Pouco tempo depois, compra uma Kombi, depois troca por um caminhão e logo em seguida compra uma pequena frota de veículos para distribuição.

Em cinco anos, o homem passa a ser dono de uma das maiores redes de supermercados do país, empregando milhares de pessoas e oferecendo vários tipos de alimentos (não só batatas). Pensando no futuro de sua família e de seus funcionários, decide fazer um seguro de vida. Chama um corretor, acerta um plano e quando a conversa acaba, o corretor lhe pede o canal do YouTube para acertar os últimos detalhes.
- Mas eu não tenho canal no YouTube - disse o homem.
- Não tem canal no YouTube? - disse, surpreso o corretor - e mesmo sem um canal no YouTube chegou a construir um império desses? Imagine o que o senhor seria se tivesse um canal?
- Eu seria faxineiro - responde o homem sem titubear e com um sorrisinho nos lábios.
- É. O senhor está certo. Youtubeiro nem é gente.

Linda história, não acharam? Motiva a gente a procurar trabalhar com emprego de verdade e de gente.

E sim, tomei a liberdade de fazer algumas alterações. Onde que você compra 10 quilos de tomate com R$ 10,00?

Para que servem cursos de humanas (em resposta ao André do Ceticismo.Net)

O professor doutor André Carvalho, do site ceticismo.net, cujo link prefiro não colocar, postou um vídeo que é um tremendo desserviço ao conhecimento e à educação. Olha, é tanto desserviço o tal do vídeo (e um texto que o acompanha) que eu prefiro nem publicar o tal do vídeo:


Ih!! Agora publiquei. Bom, agora foda-se.

Apesar da grande revolta entre o pessoalzinho de humanas, ninguém respondeu a pergunta-chave: Para que serve as humanas? Já que ninguém respondeu, eu respondo. Serve para muitas coisas. Aí vai a utilidade de cada uma delas:

Comecemos pela filosofia. Não fosse a filosofia, não existiriam Aristóteles, um misógino, aristocrata e escravocrata que dizia que dizia que mulheres tinham menos dentes que homens, que o cérebro servia para resfriar o sangue, que no coração é que é guardada a consciência, que objetos pesados caem mais rápido no chão e que OOOODDDIIIIIAAAAAVVVVAAAAA todo e qualquer tipo de experimentação científica. Também não existiria Platão, que foi o criador daquela palhaçada de Atlântida, que também OOOODDDIIIIIAAAAAVVVVAAAAA todo e qualquer tipo de experimentação científica . E, principalmente, não existiria Olavo de Carvalho, que dispensa apresentações. E os três se merecem.

Depois temos a sociologia. Não fosse por ela, não existiram pessoas que se preocupam tanto com os problemas da sociedade, como Fernando Henrique Cardoso, que se preocupa com a educação (instituindo aprovação automática) e com a aposentadoria (chamando quem se aposenta com menos de 50 anos de vagabundo, sendo que ele se aposentou com 38). E o mais curioso é que um dos maiores críticos do FHC era outro sociólogo, este sim que merece todo o nosso respeito e nossa reverência, o Betinho.

Não fosse a antropologia, não existiriam o Tedson, nem o Jae Hoo Kim. E coitado do Darcy Ribeito.

Não fosse os estudos de gênero, não existiriam Xs lacradorXs, nem os fiscais de cu, piroca e xoxota alheias. Uma coisa antes restrita aos evanjegues agora é mais feita e praticada pelo pessoal da lacração. E viva o efeito ferradura.

E não fosse a pedagogia, não existiriam Vygotski, Piaget (que depois o André disse disse que ele era biólogo especializado em molusco. Tudo a ver), Paulo Freire, Walon, Freinet, Emilia Ferreiro, Maria Montessori e o pai de todos eles, Rousseau, que abandonou os filhos no orfanato para fugir com a amante. Não, Mortimer Adler não se inclui e ai de você se falar algo de positivo dele.

Ainda sobre filosofia, não gostar de ser contrariado parece ser algo generalizado entre os "amigos do saber", não somente entre os professores de filosofia que dão nota zero para o aluno porque ele disse algo que o professor não concordou. Quando eu usava o Twitter, vivia tirando sarro das besteiras e bobagens ditas pelo Olavo de Carvalho e pelo aluno número 1 da escolinha do professor Olavo, que é um certo roqueiro fracassado que não consegue nem tocar num barzinho entregue às moscas e baratas e que atualmente é youtubeiro, cosplay de Jesus Cristo e vende masterclass de curso fuleiro (de filosofia, claro). E os "amigos do saber" e reis da oratória, da retórica, da dialética, do pensamento, do saber e do caralho a quatro, ao invés de me responderem, ambos decidiram me bloquear. Ambos poderiam muito bem me ignorar, afinal eu sou um Zé Ninguém (e admito que sou mesmo. Mas é que eu não preciso de Internet para viver. Eu estudei e tenho um emprego. Desculpa aí), mas para eles perderem o tempo deles (afinal, o recurso mais valioso que qualquer pessoa tem é o próprio tempo) vendo quem era este tal filho da puta chamado Lucho e decidir bloquear este tal filho da puta chamado Lucho é porque eu devo ter enfiado com tudo o dedo na ferida e eles não tinham o que dizer para me responder. O que me faz concluir que eles não são tão assim amigos do saber.

Eu tive aulas de filosofia nos meus dois últimos anos do ensino fundamental e digo que, depois das aulas de educação artística, essas aulas de filosofia foram os maiores desperdícios de tempo da minha vida estudantil. No horário em que eram dadas essas duas porcarias, poderiam ser dadas aulas de alguma matéria de verdade, ou então poderiam liberar o aluno mais cedo, já que ficar aumentando a quantidade de aulas e de dias letivos não vai melhorar a qualidade do ensino (como aliás, não melhorou). Até porque, isso de ficar fazendo sempre a mesma coisa esperando por resultados diferentes tem um nome, que eu agora não me lembro qual é esse nome. Alguém poderia me ajudar a lembrá-lo, por favor?

Faltou mais uma área importante das humanas, que tem muita utilidade hodierna: Ciência política. Ciência política serve para vagabundo criar canal no youtube, falar um monte de bosta, xingar esses filhos da puta que usam adblock, pedir esmola pelo mendigon ou pelo mendiga.se e, vendo que a esmola ganha é pouca (dá-lhe efeito Genovese) decidem se candidatar a deputado estadual ou federal para que o povo eleja o Lindbergh Farias que merece.
 

Eu sei de onde você é

Duvida? Então toma esta:


Graças ao IPAddressLocation.org

Últimos textos.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST