Pesquisar este blog

Quando acessar um artigo científico me fez dar altas risadas.

Sim, aconteceu isso mesmo. Foi quando fui pesquisar sobre o efeito Dunning-Kruger, aquele fenômeno da psicologia que mostra que pessoas com pouco, ou nenhum conhecimento numa área se acham mais conhecedoras e sabedoras daquele assunto do que quem estuda ou trabalha nisso. É o efeito psicológico que explica o funcionamento de Twitter, facebosta, youtube, tumblr e bosta de blogs e youtubeiros políticos, em que mongoloides de Twitter querem ensinar ao papa sobre a Bíblia e sobre como ser um cristão de verdade.

Sim, eu sei que publicações científicas são coisas sérias, mas eu não consegui me conter quando li o título do artigo, publicado em dezembro de 1999 (pois é. Nem vinte anos que a publicação tem. Em termos de ciência isso é bem novo), que dizia "Unskilled and unaware of it: How difficulties in recognizing one's own incompetence lead to inflated self-assessments" (desqualificação e inconsistência: Como a dificuldade em reconhecer a própria incompetência leva a autoavaliações infladas). Sim, um título de artigo científico em que aparece a palavra "incompetência". Só por isso, o negócio promete.

Aí lendo o abstract (ou resumo do artigo), mais diversão, com o pessoal que come capim não percebendo o quão burros são, ao fazerem e falarem a coisa errada por conta da incompetência cognitiva deles (sim, incompetência cognitiva. Foi exatamente essa a expressão usada), com esse mesmo pessoal atingindo o último quartil nos testes de humor (como sempre, humor servindo para detectar quem é inteligente. É porque no teste não tinha laugh track), lógica e gramática, porém se superestimando tremendamente, ao acharem que estão no 62º percentil de inteligência (uma inteligência mediana), quando na verdade não passaram do 12º percentil (mais burros que uma porta. Eu nunca entendi essa expressão. Portas são muito úteis).

E o mais engraçado de tudo foi o fato gerador do artigo, que foi um gênio do crime que foi assaltar bancos em Pittsburgh, sem usar disfarce algum, mas com suco de limão passado na cara pois, ele achou que com isso ele ficaria invisível para as câmeras de segurança (eu tive de reler isso umas cinco vezes para ver se era realmente isso e se eu realmente tinha entendido).

Mas aí veio uma coisa legal. Se os comedores de capim não sabem o quanto são burros, as pessoas inteligentes sabem quais são seus limites. Inclusive, pessoas inteligentes e competentes podem acabar sofrendo com a síndrome do impostor, que é o efeito Dunning-Kruger as avessas.

Enfim, um artigo científico bem inusitado. Quem quiser lê-lo, ele está aqui. A única sacanagem de toda essa história é que esse artigo foi "laureado" com o Ig Nobel de psicologia em 2000.

PS: Esta série de vídeos do André sobre psicologia está paulatinamente esboroando o preconceito que eu tinha com relação à área. Mas confesso que a culpa era minha. É que eu confundia psicologia com psicanálise (esta sim, pseudociência) e além disso, nas poucas vezes que ouvia falar do assunto era sobre "estudos" sobre cura gay ou então "estudos" dizendo que quem não tem conta no facebosta é psicopata (para depois vir outros "estudos" dizendo que uma de cada 100 pessoas que tem conta no facebosta é psicopata).
 

Eu ainda sei de onde você é

Não sei o que aconteceu que o script do IP Address Location pifou, mas eu ainda continuo sabendo onde você está (especialmente se você estiver numa escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal).

Se quiser me xingar, tudo bem, vai em frente, mas seu IP vai ficar registrado. E ai se for de uma escola ou universidade pública ou qualquer órgão ou empresa estatal, pois você estará me xingando e usando meu dinheiro para fazer isso.

Últimos textos.

Feeds do blog

Assine o feed do blog
Assine o RSS.

Insira seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Histórico

Texto aleatório

ALEA IACTA EST